Aumento no consumo de milho para produção de etanol reduz estoques nos EUA, mostra USDA

Publicado em 10/06/2010 11:42 561 exibições
O relatório divulgado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) nesta quinta-feira (10) mostrou que o consumo de milho para a produção de etanol pode ter um aumento de aproximadamente 10 milhões de toneladas em relação a maio, referindo-se a safra 2009/10 e o cereal já plantado para a safra nova.

De acordo com os números do departamento, este foi o fator contribuinte para a redução dos estoques do cereal nos EUA.  Estimativas apontam que, na safra 2009/10, os Estados Unidos devem ultrapassar o consumo das 111,7 milhões de toneladas.  A previsão anterior era de 115,5 milhões de toneladas. Já para a safra 2010/11, o esperado é que sejam utilizadas 119,3 milhões de toneladas de milho para a produção de etanol.

Segundo o USDA, os estoques finais de milho da produção 2009/10, em junho, devem ser totalizados em 40,72 milhões de toneladas, volume 7,7% menos do que a expectativa apresentada no último mês – 44,15 milhões de toneladas. 

Para a safra nova, a estimativa do mercado era de estoques finais de 46,51 milhões de toneladas, o USDA, no entanto, divulgou reservas de 39,96 milhões em junho. O montante, em relação a maio, teve redução de 13,48%, quando a estimativa era de 46,18 milhões de toneladas.

Com informações do USDA

Tags:
Fonte:
Redação NA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Santo Etanol. Graças a Deus e a "ele" [Satanizado por muitos brasileiros por ocasião da vinda do Pres. Bush ao Brasil] o aviltamento dos preços do milho não é ainda maior. Nós deveriamos deixar de lado o falso brio pelo etanol de cana e pensarmos seriamente também na produção de etanol a partir de milho (380 a 425 L/t) especialmente no Mato Grosso onde será bem dificil obter licença ambiental para o cultivo de cana, onde se planta milho por necessidade agronômica e não por conveniência econômica e além de tudo a logistica de escoamento é onerosa e acima de tudo porque o residuo resultante (305 kg/t) é próprio para tratar gado confinado e gado por lá tem muito. Temos que deixar de lado este orgulho BESTA de querer que o mundo inteiro produza etanol de cana.

    0