Venda de milho é retomada em Iguatu/CE

Publicado em 13/08/2010 07:29 e atualizado em 09/03/2020 11:34 354 exibições
Depois de investigar irregularidades no Programa Venda Balcão, a Conab volta a vender milho em Iguatu.
A direção nacional da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) autorizou, na tarde da última quarta-feira, a retomada do Programa Venda Balcão, nesta cidade, que comercializa milho para os pequenos produtores rurais. As vendas estavam suspensas desde o dia 26 de julho passado, devido à apuração de denúncia de irregularidade no programa. A medida administrativa trouxe alívio para os criadores que enfrentam dificuldades para alimentar o rebanho em face da estiagem.

Durante dez dias, uma comissão de sindicância da Conab investigou, neste Município, possíveis irregularidades na aquisição dos grãos por produtores cadastrados no programa e que repassavam o milho para criadores não cadastrados e para comerciantes locais. Pelo menos em dez propriedades rurais foram encontrados fortes indícios de que houve desvio de finalidade do programa.

A direção nacional da Conab, em Brasília, encaminhou o relatório da comissão de sindicância para o Ministério Público Federal, que vai analisar o documento e decidir se envia para a Polícia Federal a fim de dar continuidade às investigações administrativas, a partir da abertura de um inquérito policial. De acordo com o gerente de operações da Conab, no Ceará, Afonso Cavalcante, não houve prejuízo para o órgão porque o milho é adquirido à vista, pelos criadores cadastrados. "Não há o que ser ressarcido para a Conab", explicou. "A nossa preocupação é com a regularidade do programa que é destinado para favorecer a agricultura familiar".

Na Conab, a saca de 60 quilos de milho em grão é comercializada por R$ 22,19, mas, no comércio local, a mesma quantidade custa cerca de R$ 30,00. O preço reduzido do produto desperta a possibilidade de prática de fraude no programa, objetivando a obtenção de lucro com o repasse indevido do milho.

Cavalcante disse que a fiscalização vai continuar nos nove armazéns da Conab no Ceará. "Não vamos permitir novas irregularidades", frisou. "Haverá rigor no acompanhamento da venda e destino dos grãos".

A superintendência da Conab no Ceará decidiu ainda manter a quota de três mil quilos por mês do milho para cada produtor cadastrado. Os criadores reivindicavam aumento dessa quantidade por causa da dificuldade de alimentar o rebanho de bovinos, ovinos, caprinos e de aves. "O pasto nativo está seco na roça e a safra de milho neste ano foi praticamente perdida", disse o presidente da Unidade de Pecuária Iguatuense (Upeci), Mairton Palácio. "A tendência é a situação se agravar nos próximos meses".

O gerente de Operações da Conab explicou que a manutenção da quota visa assegurar o fornecimento do produto por um maior tempo. A previsão inicial era de que o milho em estoque nos armazéns de Iguatu e de Icó seria suficiente para atender à demanda até o mês de setembro, se não houvesse limite na venda.

A Conab no Ceará comprou 28.200 toneladas de milho em grão de Minas Gerais e de Goiás para atender a demanda do Estado. Já chegaram 15 toneladas e são aguardadas mais 13 mil. "A dificuldade é a contratação de carretas para o frete do produto. Esse restante deve chegar logo ao Estado", disse Afonso.

Ainda para o Ceará, estão em fase de contratação mais 48 mil toneladas de milho e a compra da sacaria necessária para o estoque do produto nos armazéns. Esses grãos serão divididos entre as unidades armazenados da Conab. Maranguape, Sobral e Juazeiro do Norte receberão seis toneladas, cada uma. Para as cidades de Senador Pompeu, Iguatu, Icó Crateús, Tauá e Russas serão encaminhadas cinco toneladas.

Preço

22,19 reais é quanto custa, na Conab, a saca de 60 quilos de milho em grão. Já no comércio local de Iguatu, a mesma quantidade do grão chega a custar cerca de R$ 30,00.

Tags:
Fonte:
Diário do Nordeste

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário