Contratações de crédito do Plano Safra 16/17 caem 8% até novembro

Publicado em 09/12/2016 14:33
178 exibições

LOGO REUTERS 3.0

SÃO PAULO (Reuters) - Os desembolsos de recursos emprestados a produtores rurais empresariais por meio do Plano Safra 2016/17 entre julho e novembro caíram 8 por cento na comparação com o mesmo período da temporada passada, para 57,13 bilhões de reais, informou o Ministério da Agricultura nesta sexta-feira.

O volume liberado até o momento corresponde a 31 por cento do volume total disponível, entre recursos a juros controlados e juros livres, de 183,86 bilhões de reais para o período entre julho de 2016 e junho de 2017.

Os desembolsos para custeio, que representam a maior fatia dos contratos, caíram para 34,86 bilhões de reais no período, recuo de mais de 18 por cento.

A rubrica de investimentos, por outro lado, apresentou crescimento de 12 por cento no período, para 9,96 bilhões de reais em contratações, com impulso de demanda aquecida por recursos para compra de máquinas agrícolas.

O programa conhecido como Moderfrota, destinado a aquisição de equipamentos com colheitadeiras e tratores, já soma contratos de 3,5 bilhões de reais, de um total de 5 bilhões de reais oferecidos. O volume desembolsado registra salto de 226 por cento ante 2015/16.

"Este valor é um indicativo da confiança dos agricultores em relação às atividades que desenvolvem no campo e às perspectivas de colher uma supersafra de grãos", disse em nota o diretor de Crédito e Estudos Econômicos do Ministério da Agricultura, Wilson Vaz de Araújo, sem comentar o recuo nos indicadores globais de contratações.

O ministério informou que será oficializado nos próximos dias aporte adicional de 2,5 bilhões de reais para o Moderfrota, que passará a contar com 7,55 bilhões de reais na atual temporada.

Veja detalhes do relatório: http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/acs/2016/Desempenho-Credito-Rural-Safra-2016-2017-Julho-a-Novembro-2016.pdf

(Por Gustavo Bonato)

Moderfrota impulsiona contratações do crédito rural na atual safra

Com o aquecimento da demanda por máquinas e implementos agrícolas, o programa Moderfrota foi o destaque no financiamento agropecuário, com contratações de R$ 3,5 bilhões, nos primeiros cinco meses do ano-safra 2016/2017. “Este valor é um indicativo da confiança dos agricultores em relação às atividades que desenvolvem no campo e às perspectivas de colher uma supersafra de grãos, estimada em 213,1 milhões de toneladas pela Conab”, diz o diretor de Crédito e Estudos Econômicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Wilson Vaz de Araújo.

Por causa do aumento da procura, o Ministério da Agricultura conseguiu com o Ministério da Fazenda aporte adicional de R$ 2,5 bilhões para o programa, a ser autorizado nos próximos dias. Com isso, o valor total para o Moderfrota passará de R$ 5 bilhões para R$ 7,55 bilhões neste ano-safra.

Outros programas de investimento que tiveram aumento das contratações nesses primeiros cinco meses de execução do Plano Agrícola e Pecuária 2016/2017 foram o Pronamp e o Procap-Agro. As contratações do Pronamp passaram de R$ 461 milhões para R$ 993 milhões na comparação com igual período do ano passado. Já os contratos do Procap-Agro aumentaram 50%, alcançando R$ 1,1 bilhão.

No conjunto, os programas de investimento tiveram aumento de 12% em relação ao mesmo período da safra anterior, chegando a R$ 9,9 bilhões.

As contratações de crédito rural com recursos provenientes da emissão da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) totalizaram R$ 7,7 bilhões, de junho a novembro deste ano, contra R$ 3,6 bilhões de igual período da safra anterior.

Confira aqui o balanço dos financiamentos no Plano Agrícola e Pecuário 2016/2017.

Fonte:
Reuters

0 comentário