Em fevereiro, IBGE prevê safra de grãos 1,5% menor que em 2011

Publicado em 08/03/2012 11:10 e atualizado em 08/03/2012 15:15 586 exibições
A segunda estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas é de 157,5 milhões de toneladas, 1,5% inferior à safra recorde obtida em 2011 (159,9 milhões de toneladas) e 0,8% menor que a informada em janeiro de 2012 (158,7 milhões de toneladas). A estimativa da área a ser colhida em 2012 é de 50,3 milhões de hectares, 3,4% maior que em 2011. Soja, milho e arroz são as três principais culturas e representam juntas 90,7% da produção total, ocupando 83,1% da área a ser colhida. Em relação ao ano anterior, tanto a produção de arroz como a de soja tiveram redução de 13,2% e 9,3%, respectivamente, enquanto o milho aumentou 12,8%. Quanto à área a ser colhida, o arroz apresenta uma queda de 9,6%, o milho um acréscimo de 11,3% e a soja um aumento de 2,1%. A produção prevista para os produtos da safra de verão (algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho e soja) é de 119,5 milhões de toneladas, 6,6% menor que a registrada para esse conjunto em 2011 (127,9 milhões de toneladas). A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na página www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa.

Entre as grandes regiões, o volume total da produção tem a seguinte distribuição: região Centro-Oeste, 60,3 milhões de toneladas; Sul, 57,9 milhões de toneladas; Sudeste, 18,3 milhões de toneladas; Nordeste, 16,7 milhões de toneladas; e Norte, 4,3 milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, houve incrementos nas regiões Nordeste (13,2%), Sudeste (6,5%) e Centro-Oeste (7,7%), e decréscimos na região Norte (0,6%) e Sul (14,4%). Mato Grosso lidera como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 22,3%, seguido pelo Paraná, com 19,2%, e Rio Grande do Sul, com 13,4%, estados estes que somados representam 54,9% do total nacional.

Clique aqui para ampliar!

Estimativa de fevereiro em relação à produção obtida em 2011

Dentre os 26 produtos selecionados, sete têm variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: algodão herbáceo em caroço (1,5%), café em grão arábica (16,2%), café em grão canephora (9,6%), cana-de-açúcar (16,7%), feijão em grão 2ª safra (21,4%), milho em grão 1ª safra (1,6%) e milho em grão 2ª safra (30,2%). Com variação negativa são 19 produtos: amendoim em casca 1ª safra (9,6%), amendoim em casca 2ª safra (1,1%), arroz em casca (13,2%), aveia em grão (9,6%), batata-inglesa 1ª safra (8,6%), batata-inglesa 2ª safra (8,6%), batata-inglesa 3ª safra (2,0%), cacau em amêndoa (6,2%), cebola (3,6%), cevada em grão (12,7%), feijão em grão 1ª safra (12,2%), feijão em grão 3ª safra (5,7%), laranja (0,3%), mamona em baga (28,6%), mandioca (0,1%), soja em grão (9,3%), sorgo em grão (10,0%), trigo em grão (9,1%), e triticale em grão (2,1%).

Destaques na estimativa de fevereiro em relação a janeiro de 2012

ARROZ (em casca) – A produção esperada de 11,7 milhões de toneladas é 2,0% superior ao último levantamento. O Rio Grande do Sul, maior produtor com 65,3% de participação na produção nacional, registrou um aumento de 3,5% na produção esperada.

CAFÉ (em grão) – A safra nacional de café, considerando o arábica e o canephora em conjunto, está estimada em 50,9 milhões de sacas de 60 kg, um aumento de 3,3% em relação à estimativa de janeiro. A área total ocupada com a cultura é de 2.306.868 ha, um acréscimo de 0,3%. A área a ser colhida, de 2.123.699 ha, teve aumento de 1,1%.

FEIJÃO (em grão) 1ª safra – Produção de 1.755.434 toneladas é 3,5% menor que a estimada em janeiro. Essa queda é decorrente da estiagem na Bahia, onde os plantios previstos não foram efetivados, determinando a redução da área a ser colhida em 20,2% e de 17,2% na produção. Já no Paraná, maior produtor, a colheita foi totalmente encerrada em fevereiro e, embora a produção tenha aumentado 2,3% frente à a avaliação anterior, as 352.185 t colhidas ficaram aquém do esperado.

FEIJÃO (em grão) 2ª safra – A produção esperada de 1.355.693 toneladas registra incremento de 4,5%. Esse aumento deve-se principalmente à alteração nos números de Goiás, onde a área a ser colhida de 30.600 ha e a produção esperada de 74.490 t são superiores à informada em janeiro (33,4% e 81,3%, respectivamente).

MILHO (em grão) 1ª safra – A produção de 34,7 milhões de toneladas é 1,5% superior em relação ao último levantamento. Na reavaliação do rendimento médio houve acréscimo de 4,4%, apesar da diminuição de 2,8% na área a ser colhida em relação ao levantamento de janeiro. As quatro maiores regiões produtoras são: Sul (37,7%), Sudeste (30,1%), Nordeste (15,0%) e Centro-Oeste (13,3%).

MILHO (em grão) 2ª safra – A produção deve alcançar 28,5 milhões de toneladas, o que representa 0,9% a mais que a produção estimada em janeiro. São Paulo reajustou sua produção em 26,6%. Mato Grosso, maior produtor, não alterou os seus dados, enquanto o Paraná, segundo maior produtor, reavaliou positivamente sua produção em 0,1%.

SOJA (em grão) – A produção esperada é de 67,9 milhões de toneladas, 3,2% menor que a avaliação de janeiro. A área a ser colhida aponta um decréscimo de 0,4%, enquanto que o rendimento médio esperado também registra queda de 2,8%, sendo respectivamente, 24,6 milhões de hectares e 2.762 kg/ha. A região Sul registrou uma diminuição no rendimento médio de 6,6% e de 7,3% na produção. No Paraná, segundo maior produtor, com 15,8% de participação nacional, a cultura registrou um declínio da produção e do rendimento médio de 8,1% e 8,0%, respectivamente.

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) é uma pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras dos principais produtos agrícolas, cujas informações são obtidas por intermédio das Comissões Municipais (COMEA) e/ou Regionais (COREA); consolidadas em nível estadual pelos Grupos de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias (GCEA) e posteriormente, avaliadas, em nível nacional, pela Comissão Especial de Planejamento Controle e Avaliação das Estatísticas Agropecuárias (CEPAGRO) constituída por representantes do IBGE e do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA).

Em atenção a demandas dos usuários de informação de safra, os levantamentos para Cereais, Leguminosas e Oleaginosas (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale) foram realizados em estreita colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), continuando um processo de harmonização das estimativas oficiais de safra, iniciado em outubro de 2007, para as principais lavouras brasileiras.

Fonte:
IBGE

0 comentário