Irmãos de ministro da Agricultura se entregam à PF em Cuiabá

Publicado em 28/11/2014 14:23 e atualizado em 28/11/2014 17:35 563 exibições

Os irmãos do ministro da Agricultura, Neri Geller, se entregaram à Polícia Federal, em Cuiabá na noite desta quinta-feira (27). Eles são suspeitos de participação num esquema de venda ilegal de áreas de reforma agrária em Mato Grosso.

Segundo a PF, os produtores rurais Odair e Milton Geller se apresentaram ontem às 22h e já fizeram exame de corpo de delito. Eles estão presos no centro de custódia de Cuiabá.

O advogado dos dois, Edy Piccini, alega que ambos são inocentes.

Na Operação Terra Prometida, deflagrada nesta quinta, foram 227 mandados judiciais: 52 de prisão preventiva, 146 de busca e apreensão, além de 29 medidas proibitivas. Desses, 40 mandados de prisão foram executados.

Um dos detidos nesta quinta é o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz (PSDB).

Estima-se que mil lotes da União estejam em situação ilegal. O prejuízo aos cofres públicos pode alcançar R$ 1 bilhão.

De acordo com a Polícia Federal, por meio de fraudes junto ao Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) de Mato Grosso, no qual estariam envolvidos familiares (utilizados como laranjas) e servidores da instituição, os Geller conseguiram ocupar 15 lotes do Projeto de Assentamento Itanhangá, situado no município de mesmo nome.

Durante a tarde de quinta, policiais federais estiveram nas residências de Odair, em Lucas do Rio Verde (MT), e Milton, em Nova Mutum (MT).

A ação dos policiais foi feita em Mato Grosso (nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Nova Mutum, Diamantino, Lucas do Rio Verde, Itanhangá, Ipiranga do Norte, Sorriso, Tapurah e Campo Verde), Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

OUTRO LADO

Conforme Piccini, Odair e Milton nunca possuíram terras no Projeto de Assentamento. "O Odair possui terras particulares em Feliz Natal (MT), faz mais de dez anos. Em relação ao Milton, ele não tem propriedade alguma em assentamento nenhum. Há um grande mal entendido ou motivação, política ou pessoal, por trás dessa história."

O advogado disse ainda que os irmãos se apresentaram à Polícia Federal por orientação do ministro Neri Geller.

Piccini deve entrar com um pedido de relaxamento da prisão de Odair e Milton logo após eles serem ouvidos pelo delegado Hércules Ferreira, que conduz as investigações da Operação.

O ministro da Agricultura afirmou em nota oficial "não acreditar" na participação de seus dois irmãos em irregularidades. Neri Geller disse ainda que não foi arrolado na operação.

No G1 MT: Irmãos do ministro da Agricultura se entregam à PF após operação em MT

 

Com a prisão decretada pela Justiça por suspeita de fraudar lotes da União destinados à reforma agrária, os dois irmãos do ministro da Agricultura, Neri Geller, se entregaram à Polícia Federal na noite desta quinta-feira (27) e foram encaminhados, por volta de 22h [23h no horário de Brasília] para o Centro de Custódia de Cuiabá. Milton e Odair Geller passaram a noite na prisão, como confirmou o diretor da unidade, Isaías Marques de Oliveira. Dos 52 mandados, 33 já foram cumpridos. Anteriormente, a Polícia Federal havia informado que eram 40 presos. O número total de prisões foi corrigido pela própria Polícia Federal às 12h11 [13h11 no horário de Brasília].

Alvos da operação 'Terra Prometida', deflagrada nesta quinta-feira, os irmãos Geller dividem uma cela com outros dois detentos, conforme a diretor. Durante a operação, policiais federais foram até as casas deles, em Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, a 269 e 360 km da capital, porém, eles não estavam. Na casa de Odair Geller, em Lucas do Rio Verde, foram apreendidos documentos.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 MT

Fonte:
Folha de S. Paulo + G1 MT

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário