MPF diz que J&F tem até esta 6ª feira para aceitar R$ 11 bi de multa em acordo de leniência

Publicado em 19/05/2017 14:04 e atualizado em 21/05/2017 06:10
433 exibições

LOGO REUTERS

BRASÍLIA (Reuters) - O grupo J&F, controlador da JBS, tem até esta sexta-feira para aceitar a proposta de pagamento de multa de 11,2 bilhões de reais de multa em um acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF), caso contrário os procuradores considerarão que a proposta de acordo não é mais válida, disse o MPF em nota.

Segundo o Ministério Público Federal, o acordo de leniência com o grupo empresarial não foi fechado devido a divergências sobre o valor da multa a ser paga pelo conglomerado. Enquanto os procuradores defendem a multa de 11,2 bilhões de reais em 10 anos, a holding que controla a JBS propôs pagar 1 bilhão de reais, de acordo com o comunicado.

A relação do Ministério Público com a holding da J&F nunca foi de todo harmoniosa. No início de fevereiro, o MPF pediu o afastamento de Joesley Batista do comando do grupo e o bloqueio de bens e ativos do conglomerado no valor de 3,8 bilhões de reais. No final de março, a Justiça Federal de Brasília aceitou o pedido.

Além da JBS, os investimentos da J&F incluem a fabricante de celulose Eldorado Brasil, a fabricante de calçados Alpargatas, a empresa de laticínios Vigor e o banco Original.

O grupo está na mira de ao menos cinco frentes de investigação: além da Lava Jato, as operações Bullish, Greenfield, Carne Fraca e Cui Bono apuram supostos crimes de pagamento de propina, desvio de recursos e fraudes na liberação de recursos públicos, entre outros delitos.

Procurada, a J&F informou que não vai comentar sobre o prazo dado pelo MPF para concordar com o valor da multa.

(Por Ricardo Brito)

Fonte: Reuters

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Temos que admitir, o Brasil já é um país dominado por comunistas. Não somos uma democracia, somos uma ditadura comandada por oligarcas politicos e economicos. As instituições não funcionam no Brasil, ou agentes do MPF não estariam tentando aplicar multas na maior das empresas do oligopólio da carne no Brasil. Eles não sabiam dos crimes? E agora na ansia de arrecadar mais dinheiro para manter as instituições, a solução é multar a empresa criminosa criada pelo próprio governo, com autorização de todas as "instituições" do país? Todos sairão no prejuizo, os cofres públicos e os produtores, mas não as instituições, pois estas estão funcionando".

    1
    • CLAUDIO DOS SANTOS MATTOS SÃO MIGUEL DO IGUAÇU - PR

      SR Rodrigo falou e disse a mais pura das verdades,mas infelismente o egoismo do nosso povo que so pensa em si proprio nao deixa o nosso pais que e um gigante ao menos se mover.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Rodrigo, essa assertiva de que "as Instituições não funcionam no Brasil". É a maior verdade, pois vivemos sob um corporativismo de agentes públicos que não querem perder seus direitos, que eles próprios definiram como "seus". ... ... Vários são os artigos onde citam que os aposentados do Ministério Público, têm suas aposentadorias um ganho médio de R$ 30 mil, o Judiciário, com R$ 29 mil, e o Legislativo, com R$ 25 mil no país em que as aposentadorias na iniciativa privada é de R$ 1,6 mil ao limite máximo de R$ 5,5 mil. Esse privilégio estava sendo colocado em perigo com as discussões da reforma da previdência. A reação foi imediata: Vamos ferir de morte o responsável !!!

      0