Exclusivo: Assim como o de Atibaia, compra de sítio por Marisa foi lavrada no escritório de Teixeira

Publicado em 16/10/2017 21:20 e atualizado em 18/10/2017 12:02
7179 exibições
em O Antagonista (exclusivo)

O Antagonista revelou ontem que Marisa Letícia, seis meses antes de morrer, comprou duas propriedades rurais de mais de 50 mil m² por R$ 760 mil.

Os negócios ocorreram entre agosto e setembro, quando Marisa e Lula foram indiciados pela PF e denunciados pelo MPF no caso do triplex do Guarujá.

Anexada ao plano de partilha do inventário de Marisa, a escritura de compra e venda de uma das áreas – adquirida da família de Sadao Higuchi – mostra que o negócio foi formalizado no escritório de Roberto Teixeira, compadre e advogado de Lula.

Como revelou O Estadão em fevereiro de 2016, a compra do sítio de Atibaia também foi lavrada no escritório de Teixeira, que ocupa o 19º andar do número 755 da rua Padre João Manoel, nos Jardins.

Teixeira virou réu acusado de intermediar a compra – com propina da Odebrecht – do duplex de São Bernardo do Campo e do edifício que seria a sede do Instituto Lula.

Marisa ‘comprou’ sítio 6 meses antes de morrer

Em 26 de agosto de 2016, mesmo dia em que foi indiciada pela Polícia Federal no esquema do triplex do Guarujá, Marisa Letícia registrou em cartório a compra de uma área rural de 25 mil m², às margens da represa Billings, em São Paulo.

Segundo a escritura, anexada ao plano de partilhas de seu inventário, a mulher de Lula teria pago R$ 230 mil pela propriedade.

Uma semana depois de ser denunciada pelo MPF, em 22 de setembro, Marisa registrou em cartório a compra de outra área de 20,5 mil m², pela qual teria desembolsado outros R$ 530 mil.

As duas ‘novas’ propriedades fazem parte do chamado Sítio Engenho da Serra, mas conhecido como Los Fubangos, onde Lula fazia reuniões políticas.

Até então, Marisa havia informado à Receita Federal possuir o equivalente a apenas 36% da segunda área – o restante (64%), agora se sabe, estava em nome da família Higuchi.

Integrantes da Lava Jato ouvidos por O Antagonista acham estranho que Marisa tenha resolvido investir quase R$ 800 mil para ampliar seu patrimônio num momento tão delicado das investigações.

Mais provável que a mulher de Lula tenha sido pressionada a regularizar a situação da propriedade, que, pelo visto, estava havia décadas em nome da família Higuchi.

O patriarca dos Higuchi é Sadao Higuchi, que morreu em 1998 em circunstâncias nebulosas. Ele foi tesoureiro do Sindicato dos Metalúrgicos.

Pouco antes de morrer, Paulo Henrique Amorim (ele mesmo), denunciou na Band que Sadao internalizava recursos ilegais do exterior por meio do escritório de Roberto Teixeira.

 

EM UMA SEMANA, LULA INJETOU 6,2 MI EM PREVIDÊNCIA

Os dois foram feitos num intervalo de apenas 8 dias – o primeiro em 28 de maio e o outro em 5 de junho. Nesse caso, a data de resgate indicada por Lula foi de 78 anos.

LULA FEZ VGBL PARA MARISA RESGATAR QUANDO ELE TIVESSE 99 ANOS

Nos documentos que integram o plano de partilha de Marisa Letícia, está o VGBL que Lula fez em 28 de maio de 2014.

Lula depositou R$ 1,2 milhão. Em junho passado, o saldo já era superior a R$ 1,8 milhão.

O plano de previdência tinha Marisa como beneficiária, mas previa o resgate quando Lula completasse 99 anos. Ela teria direito a receber o valor se ele morresse antes dessa idade.


 

11,7 milhões de reais no inventário de Marisa

Os advogados de Lula entregaram à Justiça a relação de bens do petista e de Marisa Letícia, morta em fevereiro deste ano.

As informações fazem parte do inventário da ex-primeira-dama. O patrimônio declarado do casal soma 11,7 milhões de reais, conforme a lista de bens abaixo:

1 – Apartamento residencial no Edifício Green Hill, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 602.435,01

2 – Apartamento residencial, número 92, no Edifício Kentucky, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 179.606,73

3 – Apartamento residencial, número 102, no Edifício Kentucky, em São Bernardo do Campo.
Valor: R$ 179.606,73

4 – Fração do Sítio Engenho da Serra, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 413.547,57

5 – Direito de aquisição de uma fração do Sítio Engenho da Serra, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 130.000,00

6 – Automóvel Ford Ranger 2013/2013
Valor: R$ 104.732,00

7 – Automóvel Ômega CD 2010/2011
Valor: R$ 57.447,00

8 – Conta corrente no banco Bradesco
Valor: R$ 26.091,51 (posição de fevereiro/2017)

9 – Crédito junto à Bancoop referente a sua demissão do quadro de sócios
Valor: R$ 320.999,20 (posição de fevereiro/2017)

10 – 98 mil cotas sociais da LILS Palestras, Eventos e Publicações
Valor: R$ 145.284,91

11 – Poupança na Caixa
Valor: R$ 126.827,43

12 – Poupança no Itaú
Valor: R$ 21.438,70

13 – Poupança no Bradesco
Valor: R$ 2.946,69

14 – Aplicação financeira Invest Plus, no Bradesco
Valor: R$ 16.605,25

15 – Aplicação financeira LCA, no Banco do Brasil
Valor: R$ 98.378,89

16 – Renda Fixa, no Banco do Brasil
Valor: R$ 191.926,45

17 – Renda Fixa, no Banco do Brasil
Valor: R$ 52.709,96

18 – Renda Fixa, no Banco do Brasil
Valor: R$ 39.929,24

19 – Previdência Privada VGBL, no Banco do Brasil
Valor: R$ 7.190.963,75

20 – Previdência Privada VGBL, no Banco do Brasil
Valor: R$ 1.848.331,34

Total: 11.749.806,36

Sem preconceito com Lula, por favor… (O Antagonista)

Por que um ex-operário, ex-líder sindical e ex-presidente da República não pode ter 11,7 milhões de reais de patrimônio declarado?

E tudo com recibos?

Sem preconceito com Lula, por favor…

Zanin anexou documentos sem validade em inventário de Marisa

Ao entregar o plano de partilha do inventário de Marisa Letícia, Cristiano Zanin anexou documentos com a validade vencida.

Um deles é a certidão referente um dos apartamentos do casal. Ela foi expedida em 16 janeiro, duas semanas antes da morte da ex-mulher de Lula.

O documento tinha validade de 30 dias.

 

Procuradoria se opõe a absolvição de Marisa no caso do triplex

Procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba se opõem à absolvição de Marisa Letícia no caso do triplex do Guarujá, segundo a Folha.

Com a morte da ex-primeira-dama, em fevereiro, Sérgio Moro extinguiu sua punibilidade no processo, em que ela respondia por três crimes de lavagem de dinheiro. A decisão, porém, não equivale a absolvê-la.

A defesa de Marisa e de Lula entrou com recurso no TRF-4 pela absolvição, alegando que o Código de Processo Penal prevê a medida caso a punibilidade seja extinta.

Em documento protocolado hoje, o MPF respondeu que a extinção da punibilidade não diz se um acusado é inocente ou culpado –para absolver a ex-primeira-dama, seria preciso analisar o mérito.

O ‘inventário palanque’

Depois de transformar o velório de Marisa Letícia num showmício, Lula resolveu usar o inventário da falecida para alvejar o juiz Sérgio Moro.

Ele anexou ao plano de partilha a ação por danos morais movida por Marisa contra o juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Marisa, Lulinha e a nora Renata pediram R$ 300 mil de indenização por causa da divulgação de conversas pessoais — entre elas, aquela em que Marisa manda os “coxinhas” que foram às ruas protestar contra o governo “enfiarem suas panelas no c…”.

A AGU já se manifestou contra o pleito.

Vendedora do sítio de Marisa era comissionada de Dilma

Maria Inês da Silva Higuchi, viúva de Sadao Higuchi, tinha cargo comissionado na Secretaria de Comunicação Social do governo Dilma Rousseff.

Ela aparece na escritura de compra e venda de uma enorme área do sítio Engenho da Serra, localizado às margens da Represa Billings, para Marisa Letícia no ano passado.

Sua exoneração foi publicada em 25 de maio de 2016, logo depois de Dilma ser afastada no processo de impeachment.

Renan, o cabo eleitoral de Lula (em O Antagonista)

Renan Calheiros publicou no Instagram:

“Essa insistência em tirar o Lula da corrida presidencial serve para abrir espaço para o Bolsonaro. O Brasil não merece isso!”

A declaração vem escrita no mesmo post de um vídeo em que o senador diz:

“O que lamentavelmente, tristemente caracteriza o país nesse momento é essa discussão infame, esse debate nojento, esse noticiário repetitivo se é legal ou não é legal o recibo de aluguel do apartamento vizinho ao apartamento em que mora o ex-presidente.”

O fato: Renan, alvo de uma dúzia de inquéritos no STF, precisa do foro privilegiado e, para ser reeleito em 2018, aposta na força de Lula com o eleitorado de Alagoas.

Só Lula e Bolsonaro têm militância voluntária

“Todo político é ladrão.”

Em três capitais, é quase unânime a concordância com essa frase, de acordo com pesquisas qualitativas feitas por um pré-candidato, citadas na Coluna do Estadão. 

“A maioria não votaria em 2018 se tivesse essa opção.

Perguntados se tentariam convencer alguém a votar nos seus candidatos, apenas os eleitores de Lula e Bolsonaro responderam que farão campanha. Os restantes – mesmo aqueles que já têm candidatos – acham que não farão diferença.”

O herdeiro de Lula

Andreza Matais, do Estadão, explicou:

“Partidos que sonham em lançar Luciano Huck para o Planalto em 2018 consideram que ele herdará boa parte dos votos do ex-presidente Lula caso a Justiça impeça o petista de concorrer.”

Isso já foi medido por uma pesquisa, como informamos aqui no site.

Luciano Huck não é um candidato para derrotar Lula.

Ele é um candidado para esquecer Lula, relegando-o a um passado remoto.

Como sabem os partidos que querem candidatá-lo, em particular o novo DEM, ele enterra também o PSDB e o PMDB.

Se Lula for afastado de 2018, como parece provável, Luciano Huck pode atrair o voto de todos aqueles que querem cancelar os últimos trinta anos e partir do zero.

Se, por outro lado, Lula puder se candidatar, Luciano Huck nem deve concorrer, porque a disputa vai repetir o mesmo esquema das anteriores.

Alckmin quer ser o herdeiro de Lula

Geraldo Alckmin quer herdar os votos do condenado Lula.

Para isso, o governador de São Paulo tem reforçado o discurso social-democrata e intensificado programas e obras direcionados a eleitores de baixa renda, segundo o Estadão.

“A estratégia é desvincular seu nome de potenciais adversários mais identificados com a centro-direita, como Jair Bolsonaro (PSC-RJ), Henrique Meirelles (PSD-SP) e o próprio João Doria (PSDB-SP).

(…) Com o movimento que pode identificá-lo com o centro, o governador espera atrair os votos do petista projetando uma imagem de ‘mal menor’. Por isso também Alckmin tem evitado assumir o discurso anti-Lula, na contramão do que faz Doria.”

Só falta mesmo exaltar o comandante máximo.

Perder com Alckmin

Entre perder com Geraldo Alckmin ou perder com João Doria, o PSDB escolheu perder com Geraldo Alckmin.

É o efeito Datafolha.

O plano de João Doria de disparar nas pesquisas eleitorais foi um fracasso.

O PSDB escolheu perder com Geraldo Alckmin.

Sua estratégia de campanha é poupar Lula, que deve ter sua candidatura cassada, e Jair Bolsonaro, o adversário predileto dos tucanos no segundo turno.

O deputado Silvio Torres disse à Folha de S. Paulo:

“Alckmin buscará o eleitorado de centro e centro-esquerda, porque ele tem marcas de governo identificadas com o social”.

Ele disse também “que o governador não disputa voto com Bolsonaro, dado que o deputado está ‘mais identificado com partidos que rejeitam o status quo, especialmente os que estão à direita”.

OS EXTRATOS DAS ALEGADAS CONTAS DA PROPINA DE LULA E DILMA

Para corroborar a acusação de que guardava no exterior a propina de Lula e Dilma, Joesley Batista entregou à PGR os extratos das contas Mustique e Formenteira.

No depoimento complementar, que integra o conjunto de documentos obtidos por O Antagonista, o empresário reiterou a negociata com Guido Mantega para ter acesso ao cofre do BNDES.

Segundo Joesley, a primeira conta foi usada para receber as propinas em 2009 e 2010 (US$ 71 milhões), enquanto a segunda recebeu os depósitos ilícitos até 2014 (US$ 77,6 milhões).

O total de US$ 148,6 milhões teria sido usado na campanha de reeleição de Dilma, por meio de saques em espécie e pagamentos a fornecedores.

Fonte: O Antagonista/Poder360

3 comentários

  • antonio carlos pereira Jaboticabal - SP

    Quanta bobeira, tentando induzir o povo, na verdade jamais Luciano ganha a eleição, vão para o segundo turno o Bolsonaro e MARINA, sem duvida, Marina quer o apoio do Lula, o PT vai ganhar uns 3 Ministérios, Lula vai indicar o Ministro da Justiça, Salve quem poder ! Marina ganha sim ! A elite burra vão ter infarte !

    24
  • Augusto Mumbach Goiânia - GO

    Quanto à privatização da Petrobrás, esta deveria ser privatizada para vários compradores diferentes para acabar com o monopólio.

    2
  • Valcir Raimundo Ghizzoni GENTIL - RS

    O mesmo partido que criou uma legião de miseráveis (viciados em bolsa família) tem a chance de eleger presidente com o voto destes. Deus me livre!

    5
    • VICTOR ANGELO P FERREIRA VICTORVAPFNEPOMUCENO - MG

      Depois desta declaração de privatizar a Petrobras, não precisa fugir de armadilha nenhuma, já caiu nela...

      6
    • VIRGILIO ANDRADE MOREIRAGUAIRA - PR

      Ai seria uma venezuelizaçäo. Näo podemos permitir isto.

      3