O Globo não consegue confirmar o 'piripaque" de Bolsonaro e retifica a notícia

Publicado em 13/04/2018 21:54 e atualizado em 15/04/2018 06:02
4640 exibições

Bolsonaro passa bem

Jair Bolsonaro chamou de “fake news” a notícia de que passou mal e foi hospitalizado.

“Estou em casa muito tranquilo e me sentindo bem como nunca!”, escreveu o deputado no Twitter ,na noite de sexta-feira.

O Globo retifica a informação

O deputado federal e pré-candidato à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL-RJ), negou neste sábado que esteve ontem no Hospital Central do Exército (HCE), no Rio, após passar mal durante viagem a Roraima, conforme informado pela assessoria de imprensa dele. Outros veículos de imprensa também noticiaram que o parlamentar deu entrada no hospital. Waldir Ferraz, assessor de imprensa de Bolsonaro, informou ontem ao GLOBO que o deputado passou mal ainda no aeroporto de Boa Vista (RR), onde se reuniu com líderes políticos locais.

A informação "Bolsonaro foi para o HCE e está no soro" foi enviada por whatsapp a uma repórter do GLOBO às 19h05 de sexta-feira. O GLOBO estava em contato com Waldir Ferraz desde terça-feira para tentar agendar uma entrevista com Bolsonaro sobre uma reportagem que será publicada neste domingo. Em outra mensagem de áudio, enviada às 19h11, Waldir Ferraz relatou que o deputado havia vomitado e se sentido mal após passar quase "50 minutos em cima de um caminhão" sob um "sol de 40 graus".

Segundo o assessor de Bolsonaro, na sexta-feira, o deputado saiu às 1h50min de Roraima, e a aeronave fez uma escala em Brasília às 6h. Depois que chegou ao Rio, Bolsonaro foi ao HCE, segundo Waldir Ferraz relatou ao GLOBO na noite de sexta-feira.

Após o deputado divulgar um vídeo em redes sociais na qual nega ter procurado atendimento no hospital, o GLOBO voltou a procurar o assessor Waldir Ferraz. Ferraz reafirmou que Bolsonaro foi ao hospital mas disse que o deputado não iria confirmar essa informação porque "é de caráter pessoal". Segundo Ferraz, Bolsonaro passou por uma consulta informal no Hospital Central do Exército, chegou a tomar soro e foi medicado, antes de voltar para casa.

A assessoria do Comando Militar do Leste (CML), responsável pelo Hospital Central do Exército, informou ao GLOBO que Bolsonaro não esteve da unidade esta semana nem para uma consulta informal. O último registro de entrada dele no hospital foi na semana passada, para uma consulta periódica, ainda de acordo com a assessoria do CML.

O assessor de Bolsonaro alega que o Exército não vai confirmar o atendimento porque "é uma questão pessoal".

Bolsonaro é militar reformado do Exército e, por isso, tem direito a atendimento no HCE. Segundo o assessor, o deputado prefere o HCE a hospitais particulares, porque lá ele conhece os médicos, "se sente em casa" e não sofre com assédio.

“Bolsonaro não terá dificuldade para demonstrar que não é racista”, diz advogado (em O Antagoista)

Gustavo Babianno, assessor e advogado de Jair Bolsonaro, escreveu e enviou a O Antagonista a seguinte nota oficial:

“A respeito da recente denúncia oferecida contra o deputado federal Jair Bolsonaro, sua assessoria esclarece que, mais uma vez, a PGR se presta a papel de viés político, não condizente com a sua função constitucional.

Em vez de agir na defesa dos interesses da Nação, perde tempo e recursos do contribuinte para apurar supostos crimes, que, de antemão, sabe não terem ocorrido.

É lamentável assistir a ataques infundados, cujo objetivo precípuo é o de gerar notícias sensacionalistas, a fim de denegrir a imagem daquele que é, de fato, o maior fenômeno político do Brasil nos últimos anos, pela sua seriedade, honestidade e patriotismo.

Uma instituição como a PGR não devia estar à mercê de grupos mal-intencionados, que se utilizam do discurso ‘politicamente correto’ para mascarar sectarismo e vitimismo.

O deputado Jair Bolsonaro não terá qualquer dificuldade para demonstrar, na esfera judicial, que não é racista.

Como parlamentar, ele tem o direito, e o dever, de debater temas polêmicos que afligem o povo brasileiro e seu eleitorado.

Foi exatamente o que fez no Clube Hebraica, ao defender que todos devem trabalhar para seu próprio sustento, inclusive quilombolas e indígenas, ao invés de serem sustentados pelo Estado.”

ANPR a assessor de Bolsonaro: “Agendas ocultas são tolice à direita e à esquerda”

José Robalinho Cavalcanti, presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, enviou a seguinte nota:

“Acerca das declarações do advogado Gustavo Bebianno, assessor do Deputado Jair Bolsonaro, sobre a denúncia encaminhada ao STF pela PGR Raquel Dodge contra o parlamentar cabe esclarecer:

1. Não há nada de estranho ou errado – muito pelo contrário – em uma denúncia realizada sem prévio inquérito policial. É jurisprudência antiga e absolutamente pacífica que o Ministério Público pode e deve encaminhar denúncia quando presentes prova de materialidade e indícios suficientes de autoria, e se estes elementos já estão presentes sem o IPL. A denúncia traz especificado que vai acompanhada de áudio e de laudo das declarações, e, aparentemente, nem o fato nem as palavras foram negadas;

2. Não há nada de pequeno ou desimportante em defender os direitos humanos, inclusive processando criminalmente seus ofensores, como parece sugerir o ilustre advogado. Muito ao inverso, os direitos da pessoa humana têm status de direitos fundamentais na nossa Constituição e em todo o mundo. O racismo, em particular, é crime no Brasil há quase 30 anos, e não pode ser tolerado em uma sociedade plural e democrática. O Ministério Público estará sempre de pé, diante de quem for, para defender os direitos da pessoa humana;

3. Quando e sempre que um fato em tese criminoso se apresenta ou lhe é encaminhado, o Ministério Público o avalia, investiga (quando necessário) e encaminha a Justiça a opinião que exerce em nome da sociedade. Com todo respeito, está se tornando tolo o argumento sobre “agendas ocultas” – absolutamente inexistentes – repetido à direita ou à esquerda por muitos políticos e seguidores todas as vezes que o Ministério Público Federal age com denúncias e investigações. O simples fato de que todos os matizes políticos reclamam de forma igual e quase com as mesmas palavras já demonstra à exaustão que não existe nenhum tipo de agenda política na atuação do MPF. Existe cumprimento da sua missão constitucional;

4. A PGR Raquel Dodge agiu de forma fundamentada, técnica e isenta, absolutamente dentro e conforme sua missão constitucional, como se espera sempre da Chefe do MPF (e na melhor tradição de seus antecessores), e de todos os membros do Ministério Público Federal e Brasileiro. Agora a Justiça – igualmente isenta e independente -, após contraditório e ampla defesa, julgará os fatos, nos termos da Lei.”

Raquel Dodge faz denúncia contra Bolsonaro por frase contra quilombolas (na Reuters)

SÃO PAULO (Reuters) - A Procuradoria-Geral da República denunciou nesta sexta-feira o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), ao Supremo Tribunal Federal (STF) por racismo contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs, segundo nota da PGR.

Caso seja condenado, Bolsonaro, que é pré-candidato à Presidência da República, poderá cumprir pena de um a três anos, além de um pagamento mínimo de 400 mil reais por danos morais coletivos.

O deputado lidera as pesquisas de intenção de voto quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a 12 anos e um mês de prisão, não aparece como candidato.

A denúncia cita um evento em um clube do Rio de Janeiro em abril de 2017, quando Bolsonaro fez um discurso de incitação ao ódio e preconceito direcionado a diversos grupos, como culpar indígenas pela não construção de hidrelétricas em Roraima.

"O único rio lá que se poderia fazer três hidrelétricas, o pessoal encheu de índio. Hoje você não pode fazer uma hidrelétrica", disse o parlamentar.

No caso de comunidades quilombolas, Bolsonaro afirmou que "não fazem nada" e "nem para procriador eles servem mais".

"Eu fui em um quilombo em El Dourado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais. Mais de um bilhão de reais por ano gastado com eles."

Ao falar sobre mulheres, o deputado citou a própria família. "Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher", disse ele na época.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirma que vê "a conduta de Jair Bolsonaro como ilícita, inaceitável e severamente reprovável".

"O denunciado era capaz à época dos fatos, tinha consciência da ilicitude e dele se exigia conduta diversa, sobretudo por se tratar de um parlamentar", afirma Dodge.

A denúncia reúne ainda outros discursos do parlamentar contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros.

A PGR também denunciou Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável, por uma ameaça a uma jornalista.

Após denúncia, Bolsonaro posta vídeo com negros (BR18/ESTADÃO)

Um dia após ser denunciado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, sob a acusação de crime de racismo, Jair Bolsonaro divulgou em suas redes sociais e por WhatsApp um vídeo em que aparece cercado de apoiadores negros. Ele posa para selfies e confraterniza com os simpatizantes.

“Muito racismo e homofobia. Favor repassar”, escreveu na mensagem que enviou neste sábado,  juntamente com o vídeo. / V.M.

 

Fonte: O Antagonista/Reuters/Estadão

5 comentários

  • Ronaldo Rego Petrópolis - RJ

    Esse bela senhora nomeada como procuradora (Raquel Dodge), com o intuito de dar mais consistência ao cargo, substituindo os desmandos do anterior, parece que caiu vitimada pelos azares da profissão. Realmente, ela vem colando gasolina perto do fogo, distribuindo tapas à torto e direito. Um pouco mais de contenção, coisa que seu anterior nunca teve, seria um bem para o país. Se continua assim vai ficar queimada, como simpatizante do PT e dos comunas. Um pouco mais de isenção e bom senso são necessários a uma procuradora. Esqueça os holofotes e a mídia. A senhora não é ainda estrela de TV.

    1
  • Dalzir Vitoria Uberlândia - MG

    Mais uma vez o judiciário, via PGR, mostra estar a tratar assuntos de ideologia pessoal e da casta e não de interesse do povo brasileiro.... Por isto que os problemas das pessoas não são resolvidos... a madame da PGR viaja na maionese em temas de cunho pessoal e não de interesse do povo e da nação... ou seja, é muito chororó e pouca ação importante..

    0
  • jakson scherer Unai - MG

    Que ótimo melhoraram o título da matéria... né Noticias Agricolas !

    0
  • jakson scherer Unai - MG

    Parabéns ao Noticias Agricolas por ajudar a propagar mais uma fake news, Bolsonaro se encontra bem e não passou mal ! Que vergonha desses jornalistas, que vergonha !!!!

    2
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Bolsonaro não passou mal e no Brasil dos esquerdistas é muito pior falar algo considerado ofensivo para as centenas de grupos minoritários do Brasil do que cometer os crimes mais hediondos possíveis.

    2
    • GERALDO EMANUEL PRIZONCOROMANDEL - MG

      Jair Bolsonaro gravou vídeo desmentindo o Jornal O Globo.

      1