Índices de Wall Street têm rali com esperança de corte de juro e progresso sobre comércio

Publicado em 07/06/2019 18:31
54 exibições

NOVA YORK (Reuters) - Os principais índices de ações de Wall Street fecharam em alta nesta sexta-feira, uma vez que a desaceleração do ritmo de geração de empregos nos Estados Unidos fortaleceu esperanças de cortes de juro pelo Federal Reserve, enquanto o otimismo sobre o potencial avanço de negociações comerciais dos EUA com China e México aumentou o apetite ao risco.

Os investidores apostam que a fraqueza do mercado de trabalho dá ao Fed razão para fornecer mais apoio à economia. Essa leitura empurrou os índices S&P 500 e Dow Jones à maior alta semanal desde o fim de novembro, antes de uma onda de vendas no fim do ano passado.

A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos desacelerou acentuadamente em maio, e os salários subiram menos que o esperado, sugerindo que a perda de ímpeto na atividade econômica está se disseminando para o mercado de trabalho. [nL2N23E0DV]

Com isso, operadores reforçaram apostas em corte de juro em julho, antes de mais duas reduções até o fim do ano.

"O relatório (de emprego) indica que há alguma fraqueza, mas a economia permanece relativamente robusta neste momento", disse Peter Jankovskis, diretor de investimentos da OakBrook Investments LLC.

"Neste momento, o mercado está disposto a aceitar um crescimento decepcionante em troca da perspectiva de juros mais baixos", disse Jack Ablin, diretor de investimentos da Cresset Capital Management. "Estamos viciados em juros baixos e estamos dispostos a abandonar nosso crescimento econômico em troca desses juros baixos."

O índice Dow Jones <.DJI> subiu 1,02%, a 25.984 pontos, enquanto o S&P 500 <.SPX> ganhou 1,049766%, a 2.873 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composto <.IXIC> avançou 1,66%, a 7.742 pontos.

O mercado teve impulso extra com notícias de autoridades norte-americanas deram mais duas semanas a exportadores chineses antes que entrem em vigor aumentos de tarifas. A expectativa é que os líderes dos dois países se reúnam no final de junho durante o G20.

Trump vê "boas chances" de que um acordo de imigração seja firmado com México

WASHINGTON/CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na sexta-feira que havia uma "boa chance" de que os Estados Unidos conseguiriam chegar a um acordo com o México sobre a alta no número de migrantes em sua fronteira comum, embora o governo ainda trabalhe com um plano de impor tarifas sobre todos os produtos mexicanos na semana que vem. 

Mas segundo duas fontes mexicanas, as negociações enfrentavam dificuldades diante da demanda dos EUA de que o México aceitasse mais migrantes centro-americanos sob um conceito conhecido como "terceiro país seguro".

Trump ameaçou impor as tarifas que se iniciariam com 5% no dia 10 de junho se o governo mexicano não aceitar fazer mais para combater o aumento de um fluxo de imigrantes centro-americanos que cruzam o México para tentar entrar nos Estados Unidos. 

Agentes de fronteira dos Estados Unidos apreenderam mais de 132 mil pessoas que vieram do México em maio, o maior número mensal desde 2006.

As duas partes iniciaram um terceiro dia de negociações em Washington na sexta-feira para chegar a um acordo.

"Se conseguirmos fazer um acordo com o México, e há uma boa chance que conseguiremos, eles irão começar a comprar produtos agrícolas em altos patamares, começando imediatamente", disse Trump no Twitter. "Se não conseguirmos o acordo, o México começa a pagar tarifas de 5% na segunda-feira!" 

Autoridades têm dito que as negociações estavam centradas em imigração, e não no comércio. Entretanto, as exportações agrícolas dos Estados Unidos estariam entre as maiores atingidas caso o México impusesse tarifas em retaliação. O México é o principal importador de milho, trigo, carne de porco e laticínios dos Estados Unidos por volume. 

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, disse que é um erro para os Estados Unidos ligar imigração com comércio. 

Marc Short, chefe de gabinete do vice-presidente norte-americano, Mike Pence, disse na sexta-feira que os EUA estavam preparando a notificação legal sobre as tarifas sobre bens mexicanos. "Você pode esperar que isso aconteça hoje", disse Short na Casa Branca. 

A notificação pode ainda ser suspensa no final de semana pelo presidente, disse Short. Trump volta a Washington nesta sexta-feira de uma viagem à Europa. 

O México está tentando evitar que a imposição de tarifas venha a ocorrer.

"É um bom sinal que as conversas não foram interrompidas", disse López Obrador a jornalistas na Cidade do México. "Há diálogo e um acordo pode ser atingido. Eu estou otimista que conseguiremos". 

Fonte: Reuters

Nenhum comentário