"Nas ruas por Sergio Moro", veja vídeo (em O Antagonista)

Publicado em 12/06/2019 19:06
1858 exibições

O movimento Vem Pra Rua está convocando manifestações para o dia 30 de junho em apoio a Sergio Moro, vítima de crime de violação e roubo de comunicações privadas.

Além de Moro, também foram alvo procuradores, juízes, desembargadores, jornalistas e ativistas de direita.

A Polícia Federal trabalha com a hipótese de uma ação orquestrada contra a Lava Jato.

MORO PUNIDO E LULA SOLTO. É ISSO MESMO? (Leia em O Antagonista)

“O Brasil está com você”

Em frente ao Congresso, na rua por onde passam os carros dos parlamentares, dois homens estendem uma faixa em defesa de Sergio Moro.

MORO PUNIDO E LULA SOLTO. É ISSO MESMO? Leia aqui

Gabriela Hardt também teve o celular invadido por hacker

A apuração da Polícia Federal e do Ministério Público Federal indica que o hacking que expôs conversas de Sergio Moro e procuradores foi bem planejado e teve alcance mais amplo, informa O Globo.

Tem-se registro de invasões ao Telegram de integrantes das forças-tarefas de quatro estados, delegados federais de São Paulo, magistrados do Rio e de Curitiba e jornalistas.

O jornal listou 16 vítimas dos ataques cibernéticos até o momento. São eles:

– Sergio Moro, ministro da Justiça
– Deltan Dallagnol, procurador
– Gabriela Hardt, juíza
– Abel Gomes, desembargador
– Flávio de Oliveira Lucas, juiz
– Rodrigo Janot, ex-procurador-geral da República
– Paulo Galvão, procurador
– Thaméa Danelon, procuradora
– Ronaldo Pinheiro de Queiroz, procurador
– Danilo Dias, procurador
– Eduardo El Haje, procurador
– Andreu Borge de Mendonça, procurador
– Marcelo Weitzel, procurador
– Gabriel Mascarenhas, jornalista

Além de outros dois procuradores, auxiliares de Janot, que preferiram não se identificar.

O roubo e o vazamento de mensagens trocadas por Moro e os procuradores da Lava Jato é grave. Muito grave. SAIBA MAIS AQUI

Juíza Hardt: “Invasão de aparelhos de autoridades públicas atenta contra a segurança de Estado”

A juíza federal substituta Gabriela Hardt confirmou por meio de nota que seu Telegram “foi invadido na mesma época e aparentemente pela mesma pessoa/grupo que invadiu os aparelhos dos procuradores”.

Segundo ela, o fato foi imediatamente comunicado à Polícia Federal.

A juíza não verificou informações pessoais sensíveis que tenham sido expostas, mas entende que “a invasão de aparelhos de autoridades públicas é um fato grave que atenta contra a segurança de Estado e merece das autoridades brasileiras uma resposta firme”.

Ela disse esperar “que o Poder Judiciário, do qual faz parte, perceba tal gravidade e adote medidas firmes para repelir tais condutas.”

Dodge pede à PF para unificar investigações sobre invasão de celulares da Lava Jato

Raquel Dodge pediu a Maurício Valeixo a unificação das investigações sobre invasões nos celulares de procuradores da Lava Jato, principalmente do Paraná e do Rio de Janeiro.

A procuradora-geral da República quer saber o modo de atuação, os motivos e eventuais contratantes do “ataque cibernético sistemático” contra membros do Ministério Público.

A PGR também pediu à PF investigação específica sobre a invasão do Telegram do procurador militar Marcelo Weitzel, pelo qual o hacker enviou mensagens ao grupo privado de membros do Conselho Nacional do Ministério Público.

(A MAIOR OFENSIVA JÁ VISTA PARA MATAR A LAVA JATO. (Leia mais em O Antagonista).

Desembargador alvo de hacker questiona: por que só miram em quem decide contra acusados?

Abel Gomes, desembargador do TRF-2, indagou hoje por que hackers têm mirado apenas autoridades que deram decisões desfavoráveis aos investigados na Lava Jato, informa Fabio Serapião na Crusoé.

Gomes, o relator da operação no tribunal, foi um dos alvos do ataque de hackers pelo Telegram.

Leia a reportagem:

Desembargador alvo de ataque hacker questiona: por que só miram em quem decidiu contra acusados?

O uso do caso Moro-Dallagnol para parar a Lava Jato e botar criminosos (Lula) na rua. LEIA AQUI


 

Fonte: O Antagonista

4 comentários

  • FLAVIO campo grande - MS

    Nota-se nitidamente quem é contra a Lava jato na imprensa: a rede bobo , folha de sp..etc, aqueles ministros do esseteefe , no congresso e no Senado tb dá pra saber. O que eles tem a perder? Por que lutam contra um Brasil novo, limpo? com um Brasil limpo e transparente. A rede Bobo tem divida bilionária com o governo, cheia de rolos e paraísos fiscais, e a torneira fechou..., por isso atacam tanto um governo anti corrupção. Esses hackers são o sinal de que os corruptos estão incomodados, .. por isso vamos apoiar a Lava Jato, ir pra rua mostrar a força do povo de bem, por que as forças da corrupção e da velha politica estão atacando é a nós, milhões de brasileiros que votaram em uma nova politica que vem passar o Brasil a limpo.

    2
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Lula pratica e praticou todo tipo de injustiça contra o povo brasileiro ao mesmo tempo que diz proteger esse mesmo povo contra as injustiças, que ele comete, e que diz serem cometidas por outros. É o que disse Santo Antônio,..."quer combater o roubo não por zelo, mas para poder roubar sozinho".

    3
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Uma vez escrevi sobre o bode expiatório, e o Lula não fez outra coisa na vida a não ser se vitimizar, tanto que sendo um dos homens mais ricos e poderosos do pais, mesmo assim continuou a se fazer de coitado. Sempre tentando estimular o sentimento de que no Brasil as pessoas são injustiçadas, e na realidade são, mas não pelos que ele acusa, somos injustiçados por quem diz nos defender. Sempre se colocando ao lado dos marginais, que seriam na verdade, para ele, os bons. Agora não é diferente, se auto vitimizando ao afirmar ser vitima do sistema judiciário brasileiro que faz parte de um complô de direita que quer acabar com o pobre no Brasil. È a total e completa falta de vergonha na cara.

    7
    • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

      No meu modo de ver, tudo orquestrado. STF permite entrevista, aí entram os hackers e jogam no próprio site as conversas. Ou seja, tinham gravado, pediram a entrevista e depois soltaram a gravação, tentando dar um ar de legalidade ao crime.

      4
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    O apoio ao ministro Sérgio Moro é unanimidade no país. E existem pessoas que acham normal e até louvável tentar fabricar provas contra um individuo. Um só que seja feito vitima de um atentado desses significa o fim da liberdade individual.

    4