China imporá tarifas adicionais de US$ 75 bilhões sobre importações dos EUA

Publicado em 23/08/2019 09:21 e atualizado em 23/08/2019 11:50
2079 exibições
Em curto comunicado transmitido pela XINHUA (agência estatal de notícias), a China decidiu retaliar as ameaças do presidente dos EUA, Donald Trump, adicionando mais um capítulo à interminável guerra comercial (Leia abaixo). Junto ao comunicado, a Xinhua divulga notas economicas relevantes incluindo a presença de Xi Jinping numa área de reflorestamento, onde posou para foto com garotos jogando futebol. Xi aparece estrategicamente atrás de um menino vestido com a camisa da seleção brasileira.

Beijing, 23 ago (Xinhua) -- A Comissão de Tarifas Alfandegárias do Conselho de Estado da China anunciou nesta sexta-feira que o país imporá tarifas adicionais no valor de US$ 75 bilhões sobre importações procedentes dos Estados Unidos, em resposta ao anúncio recente da parte americana de aumentar tarifas aos produtos chineses. 

Soja está entre os produtos com tarifas adicionais

LOGO nalogo

Por Carla Mendes

O último movimento do presidente americano Donald Trump de taxar em 10% mais US$ 300 bilhões em produtos da China teve resposta e Xi Jinping optou por mais tarifas. Serão taxas adicionais em US$ 75 bilhões de bens norte-americanos incluindo automóveis, petróleo e claro, soja. A commodity segue no coração da disputa entre as duas maiores potências econômicas do mundo e dessa vez não seria diferente. 

Segundo a agência internacional de notícias Bloomberg, as medidas retaliatórias de Pequim começam a valer, em partes, em 1º de setembro e outras em 15 de dezembro, de acordo com um anúncio feito pelo Ministro das Finanças da nação asiática. No início desta semana, a China já havia anunciado que quaisquer novos movimentos de Trump com novas tarifas seriam retaliados. 

E embora todas estas medidas e contra-medidas estejam sendo tomadas por ambos os países, representantes tanto da China, quanto dos EUA seguem realizando conversas semanais por telefone, tentando dar continuidade às negociações entre os dois países. Uma nova reunião presencial já estaria sendo planejada, com a possibilidade de acontecer já em setembro, com a delegação chinesa indo até Washigton.

Enquanto isso não acontece, as commodities têm uma nova sessão de perdas, os futuros do petróleo recuam mais de 2%, a soja perde força na Bolsa de Chicago - embora o mercado já esteja habituado a notícias como esta - e os produtores norte-americanos ficam ainda mais receosos com seu futuro na atividade.  

Banco da China aprova crédito de US$ 28,57 bilhões para projetos na Nova Área de Xiongan

Beijing, 23 ago (Xinhua) -- O Banco da China (BOC) aprovou mais de 200 bilhões de yuans (US$ 28,57 bilhões) de crédito para projetos e corporações envolvidos na Nova Área de Xiongan até o final de junho.

A medida visa impulsionar a construção de grandes projetos, como a ferrovia interurbana Beijing-Xiongan, e as empresas que entram na região, anunciou o BOC nesta sexta-feira.

Para construir uma "Xiongan digital", o BOC investiu quase 20 milhões de yuans para desenvolver uma "plataforma integrada de administração de informações" para alcançar o acoplamento ininterrupto de monitoramento, gestão de projetos e serviços financeiros do governo.

A Nova Área de Xiongan, que abrange os distritos de Xiongxian, Rongcheng e Anxin, na Província de Hebei, fica cerca de 100 quilômetros ao sul de Beijing, sendo uma nova área de "importância nacional" após a Zona Econômica Especial de Shenzhen e a Nova Área de Pudong de Shanghai.

Huawei lança mais poderoso processador de IA Ascend 910

Shenzhen, 23 ago (Xinhua) -- A gigante tecnológica chinesa Huawei lançou nesta sexta-feira o Ascend 910, que é descrito pela empresa como o processador de inteligência artificial (IA) mais poderoso do mundo, e o framework de computação de IA para todo cenário MindSpore.

A companhia com sede em Shenzhen revelou que o Ascend 910, que será usado para treinamento de modelo da IA, terá uma performance muito melhor do que a esperada.

Em 2018, a Huawei anunciou os padrões planejados do novo processador de IA, que pertence às séries de chips Ascend-Max, como parte da estratégia da companhia para construir um portfólio full-stack e para todo cenário.

"Depois de um ano de desenvolvimento, resultados de testes mostram que o processador Ascend 910 cumpriu seus objetivos de desempenho com consumo de energia muito mais baixo que o originalmente planejado", disse a Huawei em um comunicado.

A empresa também lançou no mesmo dia o MindSpore, um framework de computação de IA que pretende apoiar o desenvolvimento das aplicações da IA em todos os cenários.

Xi inspeciona aldeia e área de reflorestamento no noroeste da China 

CHINA-GANSU-WUWEI-XI JINPING-INSPECTION (CN)

Lanzhou, 21 ago (Xinhua) -- Xi Jinping, secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China, visitou uma comunidade rural e uma área de reflorestamento na Província de Gansu, noroeste do país, nesta quarta-feira.

Xi esteve em uma nova comunidade no distrito de Gulang que é lar para moradores rurais realocados por preocupações ecológicas, e perguntou sobre seus meios de subsistência e o progresso no alívio da pobreza.

Xi também inspecionou um programa de reflorestamento em uma zona desértica de Gansu, onde aprendeu sobre os últimos desenvolvimentos obtidos no controle da desertificação e na proteção ambiental.

Xi inspeciona aldeia e área de reflorestamento no noroeste da China

Reuters: China revela tarifas retaliatórias sobre produtos dos EUA em meio a guerra comercial

LOGO REUTERS

  • PEQUIM (Reuters) - A China divulgou nesta sexta-feira tarifas de retaliação sobre cerca de 75 bilhões de dólares em mercadorias norte-americanas, adicionando mais 10% de tarifas sobre as já existentes, marcando a mais recente escalada de uma longa guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo.

A mais recente investida chinesa vem depois que os Estados Unidos anunciaram tarifas sobre mais 300 bilhões de dólares em produtos chineses, incluindo eletrônicos, programadas para entrarem em vigor em duas etapas, em 1º de setembro e 15 de dezembro.

O Ministério do Comércio da China informou em comunicado que adotará tarifas adicionais de 5% ou 10% sobre um total de 5.078 produtos originários dos Estados Unidos, que incluem produtos agrícolas, petróleo e aviões de pequeno porte. A China também está retomando as tarifas sobre carros e autopeças originários dos EUA.

"A decisão da China de implementar tarifas adicionais foi forçada pelo unilateralismo e protecionismo dos EUA", disse o ministério chinês em comunicado, acrescentando que suas tarifas de retaliação também entrarão em vigor em dois estágios, em 1º de setembro e 15 de dezembro.

O assessor de Comércio da Casa Branca, Peter Navarro, disse à Fox Business News separadamente que as negociações comerciais com a China ainda serão feitas a portas fechadas.

O gabinete do representante de Comércio dos EUA não fez comentários imediatos sobre o anúncio das tarifas da China.

Fonte: Xinhua (estatal chinesa)/Reuters

0 comentário