BB e Petrobras ajudam Ibovespa com exterior fraco e antes de temporada de resultados

Publicado em 18/10/2019 12:16
46 exibições

LOGO REUTERS

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa buscava se sustentar no azul nesta sexta-feira, com Banco do Brasil entre os principais suportes, após oferta de ações, assim como Petrobras, em meio a dados de produção do terceiro trimestre.

Às 11:42, o Ibovespa subia 0,09 %, a 105.111,53 pontos, caminhando para a segunda semana de ganhos consecutiva. O volume financeiro no pregão somava 4,67 bilhões de reais.

O fôlego era contido pela relativa fraqueza de bolsas globais, além de noticiário se viés comum da China, que divulgou mais cedo desaceleração acima do esperado no PIB do terceiro trimestre, mas avanço melhor que o previsto na produção industrial de setembro. Em Wall Street, o S&P 500 cedia 0,3%.

Para o gestor Henrique Bredda, da Alaska Asset Management, o comportamento comedido do Ibovespa também pode decorrer da prudência de investidores para a temporada de balanços de companhias brasileiras, prevista para começar na próxima semana.

"O mercado pode estar em compasso de espera para ver se os resultados refletem sinais de recuperação da economia já apontados em alguns indicadores", disse, referindo-se a números de setembro do PMI e Caged de setembro.

DESTAQUES

- BANCO DO BRASIL ON subia 2,3%, descolado do viés de baixa de bancos nesta sessão, após oferta secundária de ações. De acordo com profissionais da área de renda variável, o movimento pode refletir compras principalmente de estrangeiros que tinham pressionado por preço mais baixo na oferta e acabaram ficando de fora da operação, precificada na véspera a 44,05 reais por papel. No setor, ITAÚ UNIBANCO PN cedia 0,5% e BRADESCO PN mostrava estabilidade.

- PETROBRAS PN avançava 0,5% e PETROBRAS ON valorizava-se 0,6%, após divulgar dados de sua produção no Brasil no terceiro trimestre. O analista Gabriel Fonseca, da XP Investimentos, avaliou positivamente os números, embora eles tenham vindo em linha com as estimativas, destacando o aumento na produção do pré-sal, bem como maior taxa de utilização do parque de refino da companhia somada a menores importações de derivados.

- ELETROBRAS PN e ELETROBRAS PNB subiam 3,4% e 2,5%, respectivamente, embalada por expectativas de envio do projeto de capitalização da elétrica de controle estatal ao Congresso nas próximas semanas, o que deve reduzir a União a uma posição minoritária da companhia, bem como sinalização por executivos da chinesa State Grid de que não descartaram interesse em participar de alguma maneira da privatização da brasileira.

- VALE ON tinha alta de 0,4%, em sessão positiva para o setor de mineração e siderúrgica na bolsa paulista, acompanhando o movimento de pares no mercado europeu. Ainda no Brasil, USIMINAS PNA subia 1,6%, CSN ON valorizava-se 0,8% e GERDAU PN mostrava queda de 0,3%.

- COGNA ON, ex-Kroton, mostrava acréscimo de 0,2%, tendo de pano de fundo números sobre a captação de alunos para o segundo semestre. Para a Guide Investimentos, foram resultados ainda fracos tanto no presencial quanto no segmento de ensino à distância (EAD), com queda nas rematrículas, redução da base de alunos, e aumento na evasão. "Por outro lado, o aumento na receita de captação mostra algum tipo de reação da companhia", afirmou em nota a clientes. No setor, YDUQS ON recuava 0,8%.

- BRF subia 0,2% seguindo setor de proteínas na bolsa, com MARFRIG ON avançando 1,9% e JBS ON em alta de 0,9%. Em relatório nesta semana, o BTG Pactual disse que esperava bons resultados para as três empresas no terceiro trimestre, mas com preferência pelas companhias ligadas a carne bovina em relação às de aves período, já que os spreads de gado nos EUA atingiram os níveis mais altos de todos os tempos.

Fonte: Reuters

0 comentário