HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Soja: Após USDA sem novidades pressionando Chicago, tweet de Trump desautoriza redução de tarifas para China

Publicado em 08/11/2019 16:49 e atualizado em 09/11/2019 06:13
1317 exibições

O mercado da soja encerrou esta sexta-feira (08) em baixa, com quedas entre 4 e 5 pontos. A surpresa do dia foi o relatório do USDA, que manteve suas estimativas para a soja norte-americana praticamente inalteradas no boletim mensal de oferta e demanda divulgado nesta sexta-feira, 8 de novembro. O mercado, porém, esperava uma correção para baixo dos números. Para o milho, os números norte-americanos vieram todos menores. 

>> USDA aumenta estoques de soja dos EUA e do mundo e reduz todos os números do milho

Soja Novembro - USDA

Outro fator é com relação à guerra comercial entre China e Estados Unidos, que hora avança, hora dá sinais de retrocesso. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira a repórteres que não concordou em reverter as tarifas sobre a China, mas que Pequim gostaria que ele fizesse isso.

De acordo com Carlos Cogo, da Cogo Inteligência em Agronegócio, quanto mais a situação entre os dois países se estender, melhor para o Brasil, já que com o avanço da safra 19/20 no Brasil, a China pode voltar a atender sua demanda com a soja brasileira.  

Trump diz que não concordou em reverter tarifas sobre a China

LOGO REUTERS

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira a repórteres que não concordou em reverter as tarifas sobre a China, mas que Pequim gostaria que ele fizesse isso.

Autoridades de ambos os países disseram na quinta-feira que a China e os EUA concordaram em retirar as tarifas sobre os produtos um do outro na "fase 1" do acordo comercial, se ele for finalizado.

O Ministério do Comércio da China, sem apresentar um cronograma, afirmou que os dois países concordaram em cancelar as tarifas em fases.

Uma autoridade dos EUA, falando sob condição de anonimato, confirmou que a retirada das tarifas faria parte da primeira fase de um acordo comercial que ainda está sendo redigido para que Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, assinem.

Mas a declaração logo foi posta em dúvida depois que a Reuters noticiou que o plano enfrenta forte oposição interna no governo dos EUA.

(Reportagem de Alexandra Alper)

Wall Street recua após Trump dizer que não concordou em reverter tarifas

LOGO REUTERS

(Reuters) - Os mercados acionários dos Estados Unidos caíam nesta sexta-feira depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que não havia concordado em reverter as tarifas sobre produtos chineses.

Às 12:23 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,24%, a 27.610 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 0,267083%, a 3.077 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 0,25%, a 8.414 pontos.

(Por Sruthi Shankar em Bengaluru)

Fonte: Reuters

0 comentário