Oposicionistas, em cerca de 500 carros e com bandeiras de Lula, realizaram manifestação contra Bolsonaro em Brasília

Publicado em 23/01/2021 16:58 397 exibições
Atos semelhantes aconteceram em outras cidades do País (Poder360)

Protesto organizado por partidos de esquerda pediram o impeachment do presidente Jair Bolsonaro e vacina já para todos. Os movimentos de esquerda Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, com apoio da CUT (Central Única dos Trabalhadores), organizaram manifestações para este sábado em 45 cidades

Em Brasilia, a concentração para a carreata começou por volta das 9h no Eixo Monumental, região central de Brasília. O ato teve início por volta das 10h. A PM estimou que cerca de 500 carros participam da manifestação, realizada na Esplanada dos Ministérios. 

Assista (1min37s):

O evento teve participação de manifestantes, partidos de esquerdo e sindicatos. Veja (4min4s):

Veja outros momentos da carreata (48s):

Manifestantes organizam carreata (1min48s):

A concentração para a carreata começou por volta das 9h no Eixo Monumental, região central de Brasília. O ato teve início por volta das 10h. Deputados do PT que participam do evento publicaram os vídeos em seus perfis nas redes sociais. 

Bolsonaro é convidado para a final da Libertadores no Maracanã

Precisará fazer teste de covid-19; Jogo será realizado em 30 de janeiro; O uso de máscara será obrigatório

Presidente Jair Bolsonaro assistindo à partida entre Palmeiras x Vasco da Gama pelo campeonato brasileiro

O presidente Jair Bolsonaro foi convidado para assistir à final da Libertadores entre Palmeiras e Santos no Maracanã. O jogo será realizado em 30 de janeiro.

Caso o chefe de Estado decida aceitar o convite, terá que fazer teste para covid-19 e permanecer o tempo todo de máscara, de acordo com decreto do governo do Rio de Janeiro sobre a partida.

A decisão do governo estipula que só poderá ser utilizada 10% de capacidade do estádio, o que corresponde a um público de cerca de 7.800 pessoas. Já a Conmebol determinou que haverá até 5.000 pessoas no evento.

Segundo o decreto, para ser credenciado será preciso teste negativo coletado até 5 dias antes do dia da final, verificação de temperatura na entrada e uso de máscara durante todo o período do jogo.

Apesar de ainda não ter aceitado o convite, Bolsonaro já havia manifestado a intenção de comparecer à final. O duelo não acontecerá apenas dentro de campo. Fora dele, estarão de um lado, o presidente, palmeirense, e do outro, o rival político declarado João Doria (PSDB), governador de São Paulo e possível candidato à Presidência em 2022. Doria é santista.  Comemorou a classificação do seu time em 13 de janeiro, com a vitória por 3 a 0 sobre o Boca Juniors (ARG).

Bolsonaro disse em 28 de dezembro que participaria do evento esportivo e que manteria a neutralidade caso os 2 times se enfrentassem. A declaração foi feita em um jogo beneficente promovido pelo ex-jogador Narciso, na Vila Belmiro, casa da agremiação santista.

É comum ver Bolsonaro perguntar para apoiadores se eles acompanham as partidas do Palmeiras. Enquanto as disputas da Libertadores eram realizadas, o presidente vibrava e comentava a evolução do time com a claque do Palácio da Alvorada.

A Secom (Secretaria de Comunicação) da Presidência confirma que está prevista a ida do presidente à partida final da Libertadores. Diz que não há mais detalhes, por enquanto.

Fonte:
Poder360

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Joacir A. Stedile Passo Fundo - RS

    O NA deveria fazer como fazem TODOS os meios de comunicação que não divulgam absolutamente nada das manifestações pró-direita, pró-conservadorismo e pró-Bolsonaro: não divulgar nada dos movimentos esquerdopatas! Ou temos também desta raça infiltrados em um meio de comunicação do Agro?

    5
    • João Batista Olivi Campinas - SP

      Sr. Joacir, decidimos publicar as reportagens das manifestações da esquerda em favor do impeachment por dois motivos básicos; 1) para nosso público ter conhecimento e compreensão do plano da esquerda; e 2) demonstrar a pequenez da manifestação (tanto que a candidata do MDB à presidencia ao Senador, Simone Tebet, já se antecipou dizendo que não há chance de pautar uma proposta de impeachment "por falta de apoio popular". Por fim, aproveitamos o tema e colocamos, ao pé da nota da manifestação, o artigo do cientista politico gaucho Paulo Moura sobre a estratégia do Governo Bolsonaro no enfrentamento às manobras da esquerda. Resumindo, como nos ensinou Platão, "o conhecimento liberta". PS.: Sr Joacir, continue conosco firmes e fortes, sempre em frente. Fique tranquilo, aqui não há lugar para proselitismo de socialistas. Pelo contrário, nosso lema é (e vai continuar sendo) "o site do produtor rural". Muito obrigado. Forte abraço. E vamos em frente!

      8