Ibovespa tem queda discreta com ajustes; Petrobras sobe quase 6%

Publicado em 19/04/2021 18:00 e atualizado em 19/04/2021 18:40 42 exibições

LOGO REUTERS

O Ibovespa fechou com queda discreta nesta segunda-feira, em sessão volátil marcada por ajustes, com Petrobras subindo quase 6% após o novo presidente da empresa afirmar que buscará reduzir a volatilidade dos preços de combustíveis sem desrespeitar a paridade de importação.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,15%, a 120.933,78 pontos, perdendo o patamar dos 121 mil pontos nos ajustes finais. Na máxima da sessão, encostou nos 122 mil pontos, enquanto recuou a 120.682,17 pontos no pior momento.

Esse movimento veio após o Ibovespa ter tido a terceira semana seguida de ganhos, endossado por máximas em Wall St e noticiário corporativo, apesar de pouco avanço palpável nas frentes de saúde, política e fiscal no Brasil.

O volume financeiro nesta sessão somou 52 bilhões de reais, com influência do vencimento de contratos de opções sobre ações, que movimentou 17,2 bilhões de reais, sendo 13,1 bilhões de reais em opções de compra e 4,1 bilhões de reais nas de venda.

A analista da Rico Investimentos Paula Zogbi ainda destacou que decisão sobre o Orçamento de 2021 a ser tomada na quinta-feira é o grande ponto de atenção. "Sem uma definição que demonstre controle da situação e priorização da saúde fiscal, aumentam os riscos do teto de gastos ser desrespeitado", afirmou

Nesse contexto, o Congresso Nacional deve votar nesta segunda-feira projeto de lei que, com o aval do governo, busca resolver o impasse em torno do Orçamento, ainda não sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN avançou 5,8%, após seu novo presidente, Joaquim Silva e Luna, dizer na cerimônia de posse que a empresa tentará reduzir a volatilidade dos preços de combustíveis sem desrespeitar a paridade de importação. Ele ressaltou que "deve chegar ouvindo mais e falando menos" e defendeu que é preciso conciliar "interesses de consumidores e acionistas". Analistas do Bradesco BBI consideraram a fala de Luna "amplamente amigável" para com acionistas. Ainda de pano de fundo, o petróleo fechou em alta no exterior.

- LOJAS RENNER ON caiu 3,56%, após anunciar oferta primária de ações, que deve precificar em 29 de abril e pode movimentar até 6,5 bilhões de reais. Na sexta-feira, as ações dispararam em meio a especulações de uma oferta de ações, e a companhia confirmou durante o pregão que avaliava um follow-on. A oferta, na visão de analistas do Credit Suisse, sugere mudança de atitude da varejista em relação a movimentos de aquisição, acrescentando o follow-on deixará a empresa com um caixa significativo para partir para compras.

- BRASKEM PNA valorizou-se 5,62%, ampliando a alta em abril e no ano, em meio a expectativas relacionadas à venda da participação da Novonor (ex-Odebrecht) na petroquímica. No fim de semana, o Estadão publicou que o Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes, conversa com a Novonor sobre uma possível aquisição da sua fatia de 50,1%.

- JBS ON avançou 3,74%. A maior produtora de carnes do mundo voltou às compras, mas dessa vez para adquirir a europeia Vivera por 341 milhões de euros, de olho no forte crescimento do mercado vegetariano. Analistas destacaram que o mercado de produtos vegetarianos é de maior valor agregado e que a transação colabora para diversificar a atuação da JBS, que pode estar de volta às aquisições.

- VALE ON recuou 0,87%, após recorde intradia e antes da divulgação do relatório de produção e vendas no primeiro trimestre, nesta segunda-feira. Na máxima, a ação cheogu a 109,88 reais, maior cotação já registrada pelo papel num pregão, alcançada pela primeira vez na quinta-feira. No radar, os preços do minério de ferro na Ásia avançaram, uma vez que siderúrgicas na China seguira aumentando a produção apesar do escrutínio do governo por questões ambientais.

- ITAÚ UNIBANCO PN caiu 1,5% e BRADESCO PN cedeu 0,45%, em sessão negativa para o setor.

- BLAU ON subiu 2,39%, a 41,10 reais, em estreia volátil na B3, após a farmacêutica precificar IPO a 40,14 reais na semana passada, em que levantou 1,1 bilhão de reais na oferta base. O lote adicional não foi exercido. O suplementar pode elevar a oferta a 1,26 bilhão de reais.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário