Brasileiros vieram da selva; nós, da Europa, diz presidente da Argentina Alberto Fernández

Publicado em 09/06/2021 20:09 e atualizado em 10/06/2021 07:13 2236 exibições
Em evento na Casa Rosada, depois, pediu desculpas...

Fernández disse, nesta 4ª feira (9.jun.2021), que “os mexicanos vieram dos índios, os brasileiros saíram da selva, mas nós, os argentinos, chegamos de barcos”. A fala foi dita durante evento na Casa Rosada, com empresários espanhóis e argentinos e o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez.

“E eram barcos que vieram de lá, da Europa”, completou, ao dizer que estava citando um trecho do poeta Octavio Paz.

O presidente, no entanto, fez menção a música Llegamos de Los Barcos, do cantor argentino Litto Nebbia. “Los brasileros salen de la selva. Los mejicanos vienen de los indios. Pero nosotros, los argentinos, llegamos de los barcos”, diz uma estrofe da música.

É provável que Alberto quisesse lembrar a seguinte frase do poeta Octavio Paz: “os mexicanos descendem dos astecas, os peruanos dos incas e os argentinos, dos navios”.

Mais tarde, após a repercussão, Alberto Fernández se justificou em seu perfil no Twitter. O mandatário afirmou que não “queria ofender ninguém”.

“Selva”, responde ironicamente Bolsonaro a Fernandéz em foto com indígenas

Presidente brasileiro publicou registro nas redes sociais (Poder360)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou na noite desta 4ª feira (9.jun.2021) uma foto ironizando uma fala do presidente da Argentina, Alberto Fernández. Em sua conta do Twitter, o presidente divulgou uma imagem com a legenda “selva”. Nela, aparece utilizando um cocar em meio a uma tribo indígena.

COMOÇÃO

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) foi uma das personalidades públicas que comentou a situação. No Twitter, disse que passou a “entender melhor porque depois da II Guerra Mundial, criminosos de guerra nazistas se esconderam na Argentina”. 

O congressista Aécio Neves (PSDB-MG), presidente da Comissão de Relações Exteriores, classificou a atitude de Fernández como “lamentável“.

“É lamentável a declaração preconceituosa feita pelo presidente Fernandéz. O tom depreciativo que reproduz uma visão colonialista, atrasada e superada da História merece repúdio. Nós, brasileiros, temos muito orgulho e respeito pelas nossas origens da mesma forma que os argentinos devem ter da sua própria diversidade.

Disposto a agradar o primeiro-ministro espanhol, o presidente Fernandez parece não se importar em tentar depreciar seus vizinhos na América Latina e demonstrar subserviência à Europa. Isso em nada ajuda o esforço de promovermos, juntos, o desenvolvimento de nossa região. Um desserviço ainda maior em um momento em que o Mercosul tem sido questionado. A declaração vai na contramão dos países europeus que estão publicamente revendo o passado com ações que buscam a reparação histórica, como fazem recentemente França, Alemanha e Reino Unido”.

O deputado Eduardo Bolsonaro afirmou que o ”barco que está afundando é o da Argentina”.

O presidente argentino Alberto Fernández

"Brasileiros vieram da selva" e argentinos de barcos da Europa, diz Fernández (Reuters)

LOGO REUTERS

BUENOS AIRES (Reuters) - O presidente argentino, Alberto Fernández, tentou nesta quarta-feira explicar os laços históricos do país com a Europa durante uma visita oficial do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, mas talvez tenha ido longe demais, segundo o despacho da Reuters de Buenos Aires (NR).

“Os mexicanos vieram dos índios, os brasileiros vieram da selva, mas nós, os argentinos, viemos dos barcos. E eram barcos que vinham da Europa”, disse Fernández, referindo-se aos muitos imigrantes europeus que chegaram à Argentina.

Pouco depois, o presidente argentino afirmou no Twitter que não quis ofender ninguém, mas que pedia "desculpas" a quem se sentiu ofendido.

Ele acrescentou: "Na primeira metade do século 20, recebemos mais de 5 milhões de imigrantes que conviviam com nossos povos nativos. Nossa diversidade é um orgulho."

A mídia brasileira reproduziu as declarações nesta quarta-feira, mas não havia nenhuma reclamação oficial, embora tenha ocorrido uma grande polêmica nas redes sociais.

No Twitter, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, questionou se a fala do presidente argentino foi racista.

"Não dirão que foi RACISTA contra indígenas e africanos que formaram o Brasil? Porém, afirmo: o barco que está afundando é o da Argentina", disse ele.

As declarações de Fernández foram feitas em um ato em Buenos Aires com Sánchez, que acompanhava com atenção as palavras de Fernández.

O presidente argentino parece ter tirado a frase de uma canção do músico local Lito Nebbia, de quem o presidente se declarou admirador em mais de uma ocasião.

No encontro em Buenos Aires, Sánchez expressou o apoio da Espanha às negociações que atualmente a Argentina mantém com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Clube de Paris para renegociar uma dívida multimilionária.

Fonte:
Poder360/Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário