Reuters: Caminhoneiros mantêm paralisações em 15 Estados mesmo após áudio de Bolsonaro

Publicado em 09/09/2021 08:25 e atualizado em 09/09/2021 09:17 1257 exibições

Logotipo Reuters

Por Lisandra Paraguassu

(Reuters) - Depois que mobilizações de caminhoneiros, insufladas por bolsonaristas, provocaram o bloqueio de estradas em pelo menos 14 Estados, o presidente Jair Bolsonaro enviou um áudio pedindo ao grupo que suspenda as paralisações porque podem provocar inflação e prejudicar a economia.

“Fala para os caminhoneiros aí, são nossos aliados, mas esses bloqueios aí atrapalham a nossa economia, isso provoca desabastecimento, inflação. Prejudica todo mundo, especialmente os mais pobres. Então dá um toque aí nos caras, se for possível, para liberar, tá ok, para a gente seguir a normalidade”, disse o presidente em um áudio enviado por mensagem a interlocutores da categoria.

Pouco depois, em vídeo divulgado nas redes sociais, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, confirmou a autenticidade do áudio de Bolsonaro.

“O áudio é real, é de hoje, e mostra a preocupação do presidente com a paralisação. Essa paralisação ia agravar efeitos na economia de inflação que ia impactar os mais pobres, os mais vulneráveis”, disse Tarcísio.

“A gente sabe que há uma preocupação de tentar resolver problemas graves no país, mas a gente não pode tentar resolver um problema criando outro. Eu peço a todos que ouçam atentamente a palavra do presidente”, acrescentou.

Na noite desta quarta-feira, o Ministério da Infraestrutura informou que às 22h30 havia pontos de retenção em estradas de 16 Estados, o dobro do registrado no final da tarde. Em 13 desses, havia abordagem a outros caminhões para que aderissem ao movimento. Pontos de bloqueio total, encontrados no Rio Grande do Sul, já teriam sido liberados.

Os protestos dos caminhoneiros, aliados do governo, começaram um dia depois das manifestações do 7 de Setembro. Em Brasília, o ato, patrocinado pelo presidente, foi marcado por presença significativa de caminhões na esplanada dos ministérios, sendo que muitos permaneceram no local ainda na quarta-feira.

Para além das pautas colocadas pelo próprio presidente --impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes e defesa do voto impresso-- os caminhoneiros colocaram também as suas, centradas na queda do preço dos combustíveis.

Em redes bolsonaristas, aparecem várias manifestações contra o preço dos combustíveis, mas comprando a versão de Bolsonaro, de que o alto custo seria culpa basicamente do ICMS, imposto cobrado pelos Estados.

No áudio, Bolsonaro diz ainda que cabe a ele negociar com autoridades para resolver o problema da categoria, mas não cita especificamente o preço dos combustíveis.

“Deixa com a gente aqui em Brasília agora. Não é fácil negociar, conversar por aqui com outras autoridades, mas a gente vai fazer a nossa parte, vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita aí e da um abraço em meu nome em todos os caminheiros, tá ok?”, disse o presidente.

Antes de se tornar mais um risco para o governo, o movimento dos caminhoneiros foi usado por bolsonaristas como o cantor Sérgio Reis como uma ameaça de parar o país para que reivindicações do grupo fossem atendidas. Em um vídeo, Reis foi filmado dizendo que os caminheiros iriam parar o país até que o Senado aceitasse o impeachment de Alexandre de Moraes.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • Getulio Coutinho

    Baixar preço dos combustíveis. Baixar valor do pedágio. Os irmãos da estrada apanham de todo lado, e tem recebido só só esmola. Combustível 109,% nacional, que é insumo. Se o seu preço sobe, encarece tudo. E por que sobe ? Porque mais da metade é imposto. E os governantes o que fazem ? Saúde, educação, segurança ? Só deles. O imposto vai pagar salários de 39, 40 mil, pensões as viúvas de militares, às filhas solteiras de militares que estão no terceiro casamento, os auxílios toga, terno etc ... " Dirão, mas não pode reduzir benefício adquirido "... O povo quer só um pouco do que ele produz. Lembrem a revolução Francesa. Não é o Bolsonaro, são as pessoas que passam fome, que estão à míngua. Ele abriu a caixa preta. Mas não foi ele que criou o problema.

    É muito para uns e cada vez menos para outros. Parados sim. E o bom povo, esse carente, veio nos ajudar com comida, levou-nos roupa, levou-nos para tomar banho, etc. Esse meu povo, que vai sofrer aumento de preço mas que nos apoia. Às favas o resto. Parar, sim. Talvez o mais patriótico hino nacional.

    14
    • Otávio Perrone Santos Casa Branca - SP

      Os estados começaram a cobrar imposto semana passada? Presta atenção, o que fez o preço da gasolina e diesel subir foi o enfraquecimento da moeda (o barril de petróleo em reais está praticamente no seu maior valor histórico). A pergunta deveria ser, porque nossa moeda desvalorizou? Desvalorizou pq fizemos política monetária frouxa (impressão de moeda), mas não tivemos contrapartida na redução dos gastos. Isso pressionou a moeda e fez ela desvalorizar em relação ao dólar. Além disso, o ministro da economia trouxe reformas que não irão melhorar o cenário, pelo contrário como a tributária que teremos aumento de imposto.

      21
    • Aloísio Brito Unaí - MG

      Não se esqueçam do congresso e o STF. As despesas desses caras e a incompetência política e administrativa são os maiores gargalos da nossas despesas públicas. Esses caras gastam muito para pouco ou nenhum retorno para a população. Não se enganem. Esses partidos políticos, como PT, PSDB, MDB e tantos outros são os grandes responsáveis por esse caos econômico e social.

      24
    • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

      Bem isso Sr. Getulio. Para os SEQUESTRADORES públicos tudo, para o contribuinte só as sobras. Prá eles até inventaram um nome: recursos obrigatórios. Ora, obrigatórios seriam as obras e serviços a favor do contribuinte. Mas a coisa de inverteu; primeiro o que pertence ao sequestradores públicos e se sobrar ai dividir com o contribuinte.

      7
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Otávio P. Santos,, o real desvalorizou porque o banco central tentou ajudar as pessoas que produzem baixando o custo do dinheiro ou seja reduziu os juros--- Aqueles que nao produzem nada como por exemplo as instituições financeirar pegam dinheiro barato no exterior e o aplicam no Brasil ganhando fabulas de dinheiro sem trabalhar ---- Quando o banco central baixou os juros conforme eu já mencionei, devolveram todos os dólares e por causa disso começou a faltar dolares---- Então faltando dólares o dólar valoriza e o real desvaloriza subindo de cotacao

      1
    • Otávio Perrone Santos Casa Branca - SP

      Carlo, foi política monetária mal feita do BC e não para ajudar os que produzem (vc conseguiu pegar crédito a 2% a.a.?). Chegamos a ficar com juros negativos de quase 6% no acumulado de 12m, menores que o da Suiça, por conta do Orçamento de Guerra, onde tivemos forte expansão monetária para financiar o aumento de gastos, na crença de que isso não geraria aumento de preços. O BC e o Ministério da Economia não fizeram nada disso pra ajudar o setor produtivo, fizeram besteira mesmo.

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Depois dessa sua explanação pelo menos a intenção eles devem ter tido-- Concordo com a sua opiniao de que a vantagem nao foi geral, entretanto inpulsionou bastante a industria da construção...

      0