Triplica tomada de crédito para aplicação em agricultura sustentável

Publicado em 23/02/2010 09:47 498 exibições
A tomada de crédito para investimentos em agricultura sustentável triplicou na primeira metade da safra agrícola 2009/2010, em relação ao mesmo período do ciclo anterior. O Programa de Incentivo à Produção Sustentável do Agronegócio (Produsa), instrumento de apoio do Plano Agrícola e Pecuário (PAP), passou de R$ 46 milhões, em 2008/2009, a R$ R$ 164 milhões, no período.
          O Produsa oferece linha de crédito para investimento em sistemas de produção agropecuária, que respeitam a legislação ambiental, como a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e produção de alimentos orgânicos. Os limites de crédito chegam a R$ 400 mil, com juros que vão desde 5,75% a 6,75%, por beneficiário. O prazo de reembolso varia de cinco a oito anos, chegando até 12 anos no caso de florestas plantadas. No total, o programa alocoucom R$ 1,5 bilhão para o produtor, nesta safra.      
          De acordo com o chefe da Divisão de Agricultura Conservacionista do Ministério da Agricultura, Maurício Carvalho, o Produsa libera recursos a taxas e prazos compatíveis com a atividade agrossilvipastoril, incentivando a geração de renda para o produtor e mais empregos no campo.  “O programa estimula a adequação da propriedade rural ao novo sistema de produção, de acordo com a capacidade de uso do solo, além de corrigir sua fertilidade, que é um dos aspectos mais caros e limitantes da produtividade”, explica.
         Carvalho ressalta que os agricultores são os principais agentes econômicos das técnicas sustentáveis e que cabe ao governo o estabelecimento de políticas agrícolas compatíveis com a atividade e a difusão das informações e tecnologias no campo. “A parceria e o comprometimento entre o setor público e as organizações, privadas são fundamentais para criar um ambiente de negócios favorável à adoção de sistemas agropecuários sustentáveis, com benefícios à sociedade como um todo”, finaliza. (Da Redação
Fonte:
Mapa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário