Bovespa valoriza 0,30% nos primeiros negócios; dólar vale R$ 1,78

Publicado em 08/03/2010 11:07 464 exibições

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) registra valorização nos primeiros negócios desta segunda-feira. Analistas esperam uma semana de menor volatilidade --a agenda externa está menos intensa, com poucos destaques nos EUA e na Europa. Também se aguarda um fluxo maior de capital estrangeiro no mercado de ações doméstico, como visto nos pregões anteriores. A semana também deve ser marcada pela divulgação dos últimos balanços trimestrais.

O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, ganha 0,30%, aos 69.049 pontos. Na sexta, a Bovespa teve ganhos de 1,52%.

O dólar comercial é negociado por R$ 1,781, em um declínio de 0,33% sobre a cotação da semana passada. A taxa de risco-país marca 182 pontos, número 2,67% abaixo da pontuação anterior.

As principais Bolsas asiáticas concluíram os negócios de hoje mostrando ações mais valorizadas. Os investidores locais apreciaram os últimos indicadores divulgados nos EUA, revelando uma perda menor do que o esperado de postos de trabalho, e o aumento da concessão de crédito. Em Tóquio, o índice de ações Nikkei subiu 2,09%.

Na Europa, a Bolsa de Londres cai 0,03%; em Frankfurt, o índice Dax cede 0,08%.

Entre as primeiras notícias do dia, os dois índices de preços apontaram aceleração: o IGP-DI subiu 1,09% em fevereiro, ante uma variação de 1,01% em janeiro. Já a 1ª prévia de março do IPC-S teve alta de 0,88% na primeira leitura prévia deste mês, contra uma alta de 0,68% na divulgação anterior.

No relatório Focus, o mercado financeiro aumentou novamente a projeção para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo): eles esperam que o índice oficial de inflação encerre o ano em 4,99%, quase meio ponto percentual acima da meta de 4,5% estabelecida pelo governo para 2010.

Grécia

No final de semana, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, sinalizou uma possível ajuda dos países da zona do euro à Grécia, envolta numa crise financeira que ameaça a estabilidade da região.

"Se a Grécia precisar de ajuda, estaremos lá", disse ele em uma entrevista coletiva com o primeiro-ministro grego, George Papandreou. "Os principais atores no palco europeu estão decididos a fazer o que for necessário para garantir que a Grécia não fique isolada", acrescentou.

Já na sexta à noite, a colega alemã de Sarkozy, a chanceler Angela Merkel, foi igualmente enfática, mas em outro sentido, ao declarar que a Grécia "não pediu ajuda financeira" e que "a estabilidade da zona euro está garantida".

O primeiro-ministro grego George Papandreou afirmou ontem que seu país quer encontrar uma "solução europeia" para suas dificuldades e que, por enquanto, não planeja recorrer ao Fundo Monetário Internacional.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário