Dólar fecha a R$ 1,77 com maior queda em 17 meses; Bovespa sobe 3,9%

Publicado em 10/05/2010 17:25 247 exibições

Em um dia de euforia mundial pelo pacote europeu de quase US$ 1 trilhão, a taxa de câmbio brasileira teve o seu maior recuo desde 24 de novembro de 2008 (baixa de 5,41%), quando os mercados mundiais foram "sacudidos" pelas turbulências da crise dos "subprimes".

O dólar comercial foi negociado por R$ 1,777 nas últimas operações desta segunda-feira, em um decréscimo de 3,99% sobre a cotação da semana anterior. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,794 e R$ 1,767. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi vendido por R$ 1,890, em um recuo de 4,06%.

Ainda operando, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) sobe 3,95%, aos 65.357 pontos. O giro financeiro é de R$ 5,63 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York valoriza 3,55%.

O pacote europeu de quase US$ 1 trilhão é o principal assunto do dia, gerando reações entusiasmadas dos investidores nas principais Bolsas de Valores e fortalecendo o euro frente ao dólar na praça financeira.

As medidas visam socorrer algumas das economias mais problemáticas da região, a exemplo de Grécia, Portugal e Espanha, às voltas com severos problemas nas contas públicas (deficits fiscais) e nacionais (deficits externos).

A agenda econômica teve principalmente destaques domésticos. o boletim Focus, elaborado pelo Banco Central, apontou um aumento das projeções para a inflação do ano: o IPCA previsto para 2010 passou de 5,42% para 5,50%.

A FGV detectou inflação de 0,47% para o mês de maio, conforme a leitura do IGP-M, ainda em sua primeira estimativa. Um mês antes, a inflação foi calculada em 0,27%. E o Ministério do Desenvolvimento informou que a balança comercial teve superavit de US$ 517 milhões na primeira semana de maio. No ano, a balança acumula saldo comercial de US$ 2,692 bilhões.

"Há grandes possibilidades do dólar continuar rodando abaixo de R$ 1,80 pelo restante da semana, pelo menos", comenta Carlos Alberto Postigo, gerente da Casa Paulista (Banco Paulista). "Nós provavelmente vamos ver nos próximos dias uma recuperação do euro, que hoje oscilou entre US$ 1,31 e US$ 1,27, mas terminou o dia perto das mínimas. As Bolsas [de Valores] oscilaram muito mais", acrescenta.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário