Saiba o que pensam agricultores europeus e norte-americanos sobre acordo entre União Europeia e Mercosul

Publicado em 18/05/2010 16:14 300 exibições
A matéria a seguir foi veiculada no site da Reuters nesta terça-feira (18) e trata sobre um possível acordo entre a UE e o Mercosul, retomando relações comerciais que estavam suspensas desde 2004.
Madri: Acordo comercial entre Mercosul e União Européia pode prejudicar agricultores europeus e nos EUA

Um acordo comercial discutido pelos líderes da União Europeia com o Mercosul vai aumentar as exportações da Europa de bens e serviços, mas irá excluir muitos agricultores europeus dos negócios.  Desde 2004, as negociações entre os dois blocos econômicos estão suspensas, e a cúpula que acontece em Madri deve reatar as relações entre a UE com Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Um relatório da espanhola COAG (Coordenadora de Organizações de Agricultura  da Espanha) aponta que 50% das exportações de produtos agrícolas vêm do Mercosul, e com a queda das barreiras comerciais essa porcentagem pode aumentar.  Além disso, o boletim afirmou também que os produtores europeus não podem competir com os custos de produção e de mão de obra dos agricultores do Mercosul – que terão que cumprir rigorosas regras ambientais e sanitárias.

Fontes anônimas dos Estados Unidos afirmaram que os produtores europeus devem perder cerca de 5 bilhões de euros por ano ao aumentarem as importações de açúcar, carne, frutas e hortifrutigranjeiros do Mercosul.

"O aumento da concorrência desses produtos terá sem dúvida um impacto catastrófico sobre o nosso modelo de produção, que é basicamente a agricultura familiar", disse o secretário-geral da COAG, Miguel Lopez.

A organização espanhola disse ainda que os criadores de gado europeus poderiam importar grãos usados na produção de ração a preços menores do Mercosul. No entanto, essa diferença de preços não seria capaz de competir com a carne da América do Sul.

A redução na produção de carne nos Estados Unidos poderia provocar uma queda na demanda por grãos, reduzindo os preços no mercado interno norte-americano.

Brasil

O Brasil, no entanto, também pode sofrer alguns reflexos negativos com esse acordo. A COAG acredita que os pequenos agricultores da América do Sul não sem beneficiariam de um acordo comercial, já que a tendência é que as negociações se concentrem nas indústrias agrícolas de grande porte. 

Além disso, segundo a entidade espanhola, a ampliação da produção na região do Mercosul  poderia prejudicar o meio ambiente com o aumento da área de soja, afetando a fertilidade do solo. Os produtores brasileiros acreditam ser complicado tratar de livre comércio e competição com apenas 10 empresas comandando o mercado agrícola global.

Com informações da Reuters

Fonte:
Redação NA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário