CRA deverá discutir mecanismos de proteção da renda do produtor rural

Publicado em 13/07/2010 15:19 241 exibições

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) poderá realizar audiência pública no segundo semestre deste ano para discutir a renda do produto rural. O presidente da CRA, senador Valter Pereira (PMDB-MS), ao abrir a reunião da comissão nesta terça-feira (13), informou que o debate se faz necessário, uma vez que o setor tem sofrido constante redução da renda bruta, o que obriga os produtores a renegociar dívidas.

O senador criticou a falta de instrumentos de proteção da renda no setor do agronegócio, uma área que, segundo ele, se desenvolve com muitos riscos. Ele destacou que a produção agropecuária tem importante participação na composição do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e que o agronegócio tem influência na manutenção da estabilidade econômica do país. Valter Pereira também disse que o setor rural contribui de forma decisiva para a segurança alimentar no país.

- É inaceitável que o setor rural não tenha nenhum mecanismo de proteção da renda da atividade agrícola. Sabemos que a agricultura é a atividade produtiva de maior risco e que apresenta excelentes resultados, dos quais o governo se beneficia e, com frequência, se vangloria. Porém, os prejuízos climáticos, cambiais e de crédito acabam no colo do produtor - disse o senador.

O presidente da CRA informou que estudo realizado em conjunto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pelo Ministério da Agricultura, com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostrou que o Valor Bruto da Produção (VBP) das 20 principais lavouras brasileiras deve ficar, em 2010, abaixo de R$ 160 bilhões. No ano passado, informou o senador, o VBP foi de R$ 161,34 bilhões. Segundo o senador, os valores deste ano são o piores desde 2007.
 
Valter Pereira disse que tem se verificado uma forte queda na renda dos produtores de grãos, especialmente os do Centro-Oeste do país. Como exemplo, ele informou que os produtores de milho já perderam neste primeiro semestre cerca de R$ 1,9 bilhão, o que representa retração de 11% no VBP. Também os arrozeiros tiveram sua renda reduzida em 18,5% - um prejuízo de R$ 1,7 bilhão, disse o senador.

Até junho deste ano, a soja teve VBP reduzido em 2%, que representou uma perda de quase R$ 900 milhões aos produtores do grão. No entanto, levantamento do governo comparando os valores deste ano com os do ano passado, observou Valter Pereira, mostra que os preços reais de soja - segundo ele, o principal produto do setor - diminuíram 18%. Nesta comparação, os dados oficiais ainda apontam redução de 15% nas cotações do milho, 9% no caso do arroz e de 17,5% no caso do feijão.

Fonte:
Agência Senado

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário