Bovespa se descola do exterior e sobe 0,27%; dólar cai a R$ 1,76

Publicado em 28/07/2010 14:01 189 exibições

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) conseguiu se descolar dos mercados no exterior nesta quarta-feira e começa tarde com valorização, embalada pelas notícias corporativas no país. Nos Estados Unidos, os índices caem após a divulgação dos pedidos de bens duráveis em junho --bem abaixo do esperado.

O índice Ibovespa, que reflete os preços das ações mais negociadas, sobe 0,27%, aos 66.856 pontos. Na terça-feira, a Bovespa fechou em alta de 0,38%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones cai 0,16%.

O dólar comercial registra queda de 0,39%, em R$ 1,763. A taxa de risco-país marca 197 pontos, número 0,5% abaixo da pontuação anterior.

Na Europa, a Bolsa de Londres teve perdas de 0,85% enquanto a Bolsa de Frankfurt registrou desvalorização de 0,45%.

A Telefónica anunciou hoje que fechou acordo para comprar 50% do controle da operadora de telefonia celular Vivo, enquanto a Portugal Telecom --responsável pela venda da participação na Vivo-- divulgou que vai adquirir, por até R$ 8,44 bilhões, 22% da brasileira Oi.

Os negócios mexeram com as ações das companhias. Os papéis da Vivo --que anunciou ainda lucro 29,9% maior no segundo trimestre-- sobem 4,46%, enquanto a Telesp (que corresponde à operação de telefonia fixa da Telefónica no Brasil) sobe 2,18%. As ações ordinárias da Telemar, por sua vez, têm queda de 11,57%.

O Bradesco, que divulgou hoje lucro de R$ 4,6 bilhões no primeiro semestre, registra uma das maiores valorizações do Ibovespa, em alta de 3,50%. O resultado do banco é 16,4% maior do que o apurado no primeiro semestre de 2009, período subsequente à crise global em que as instituições financeiras brasileiras foram mais seletivas no crédito.

Já o Pão de Açúcar, que lucrou 6,3% a menos no período, vê suas ações caírem 4,32% nesta tarde. O grupo teve lucro líquido de R$ 188,5 milhões no primeiro semestre, incluindo as operações da rede Ponto Frio.

Entre as "blue chips", destaque para os papéis da Vale, que registram alta de cerca de 1% e ajudam a manter a Bolsa paulista em terreno positivo hoje.

Nos Estados Unidos, o Departamento de Comércio anunciou hoje que os pedidos de bens duráveis no país (itens com durabilidade mínima prevista de três anos) caíram 1% em junho, bastante abaixo do ganho de 1% esperado pelo mercado.

Nas últimas semanas, os investidores vêm tentando equilibrar fortes ganhos corporativos e perspectivas positivas com dados econômicos não tão fortes. Uma queda bem acima do esperado na confiança do consumidor na terça-feira ajudou a puxar as Bolsas para baixo ontem, mesmo em meio a bons resultados divulgados pelas companhias norte-americanas.

Os últimos relatórios mostraram, em geral, que a recuperação da economia está perdendo o ritmo e que o crescimento vai permanecer fraco. O Fed (Federal Reserve, o Banco Central dos EUA) divulga nesta tarde (às 15h) o chamado Livro Bege, que mostra relatório sazonal sobre a economia norte-americana. O mercado deve acompanhar de perto a divulgação do documento.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário