Ong anti-Brasil Greenpeace faz ultraje à senadora Kátia Abreu

Publicado em 09/12/2010 09:28 e atualizado em 09/12/2010 10:18 642 exibições
A ONG Greenpeace, que se caracteriza por suas iniciativas anti-Brasil, especialmente contra o complexo produtor do setor primário nacional, promoveu nesta quarta-feira um ato ultrajante no México. Levou uma ativista fantasiada de índia à reunião COP-16, em Cancún, e tentou entregar à senadora brasileira Katia Abreu (DEM-TO), presidente da Confederação Nacional da Agricultura, uma alegoria de uma motoserra pintada de amarelo. Segundo o site oficial da ONG anti-Brasil, o “prêmio” é um símbolo “de sua luta incansável pelo esfacelamento da lei que protege as florestas do país”, referindo-se à proposta do novo Código Florestal do deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que, se aprovada, vai abrir novas concessões a desmatadores. A bancada ruralista do Congresso, da qual a senadora faz parte, tem procurado apressar a votação da nova proposta na Câmara dos Deputados. O Greenpeace fez o ultraje à senadora Katia Abreu no lobby do hotel em que ela está hospedada em Cancún, onde participa da COP-16 da ONU sobre o clima. O Greenpeace deveria ser escorraçado do Brasil, por sua perseguição à agricultura nacional.
Fonte:
Vide Versus

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

2 comentários

  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    O projeto Biomas elaborado pela CNA/EMBRAPA precisa ser apresentado ao produtor brasileiro para ter sustentabilidade. Enganam-se aqueles que acham que qualquer projeto ambiental terá sucesso se não tiver o apoio do produtor rural. E para isso acontecer, o produtor precisa conhecer o projeto. O projeto é relativamente bom mas precisaria ser apresentado ao público brasileiro antes da COP 16. A prova está que a apresentação do projeto em Cancun não teve a mesma repercussão que teve esse deboche, essa afronta, esse desrespeito(aliás mais um) que uma dessas ONGs que estão aí para impedir o desenvolvimento brasileiro, continuam fazendo com a complacência do Ministário do Meio Ambiente. Isso é um desastre ambiental contra a Pátria Brasileira. Nós temos denunciado isso há muito tempo. Cada vez que acontece um fracasso contra as ONGs como foi as COP 15 e 16 "eles" transformam esse fracasso num sucesso como num passo de mágica. Vejam: A COP 16 que fracassou para o resto do mundo, atingiu o pleno objetivo "deles" contra o Brasil, que é o impedimento de votar o Código Florestal! Apenas 3(Marina, Isabela e Minc) conseguiram essa façanha. Uma atitude covarde contra o Brasil. Quem mais preserva o meio ambiente de produção de alimentos é o produtor rural! Querem nos impor uma condição de desinformados e de incapazes no trato com o meio ambiente! Ao ponto de ter a cara de pau de afrontar nosaa maior Entidade de representação do produtor rural que é a CNa através da sua Presidente Kátia Abreu! O Pior é que a classe produtora brasileira não tem conhecimento da gravidade dessa afronta e não se pronuncia, como se nada estivesse acontecendo. Daí o produtor precisa se defender e defender sua entidade máxima contra esse ataques, esses desastres ambientais provocados por quem? quem diria: Ambientalistas. É flagrante e comum a atitudes dessas ONGs em desrespeito a nossa Soberania. Perguntamos: Até quando? Acorda Brasil! Acorda Congresso Nacional! O Congresso Americano já acordou! Não tenho dúvidas que sobrará para o Produtor Rural fazer mais essa defesa de sua Pátria, se mobilizando em 2011 para a votação do Código Florestal que será ,repito, o segundo grito de Independência do Brasil! Nos preparemos. Nossa solidariedade a CNA e a Presidente Kátia Abreu. Vamos em frente!

    0
  • Gerd Hans Schurt Cidade Gaúcha - PR

    Nós brasileiros e principalmente os produtores rurais não podem se calar sobre o ultraje praticado pelo Greenpeace contra a Senadora Kátia Abreu em Cancun no México. Kátia Abreu é Senadora Brasileira e presidente de uma entidade representativa dos produtores rurais , CNA, Confederação Nacional da Agricultura. Não podemos tolerar em silencio esse ultraje praticado pelo Greenpeace.

    0