Abimaq pede maior rapidez no anúncio de medidas para indústria

Publicado em 30/06/2011 08:10 178 exibições
O setor de máquinas e equipamentos reclamou, ontem (29), da demora do governo em anunciar a segunda fase da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), que traria medidas de estímulo a indústria nacional. Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto, o anúncio da política já foi atrasado três vezes e há várias medidas que o governo poderia tomar para ajudar a indústria no curto prazo.

Entre as medidas, Aubert citou a desoneração total dos investimentos, linhas de financiamento a longo prazo com taxas de juros mais baixas e a perenização do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), além da redução da taxa de juros. "O conjunto dessas três medidas já traria um retorno imediato para a indústria que continua sofrendo com a entrada excessiva de importados", afirmou.

O presidente da entidade ainda citou que uma tributação mais forte do capital especulativo que entra no Brasil também poderia diminuir o impacto negativo da taxa de câmbio atual para o setor e defendeu medidas mais radicais como a quarentena, quando o capital é obrigado a permanecer no país por um período de tempo mais longo.

Segundo Aubert, as reivindicações já foram apresentadas ao governo e a entidade já se reuniu com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Fernando Pimentel, que recentemente afirmou que a PDP deve ser anunciada em julho. O presidente da Abimaq também acredita que o setor deve ter uma demanda menor devido ao impacto do aumento dos juros nos próximos meses e também das medidas macroprudenciais, além da questão da entrada de máquinas importadas, que continuaria prejudicando o setor. De janeiro a maio, já houve uma queda de 19,1% dos pedidos em carteira. As informações partem da Agência Leia.

Fonte:
Só Notícias

0 comentário