BC ouve do mercado que crise terá efeito limitado na inflação

Publicado em 16/08/2011 08:19 166 exibições
Economistas do mercado financeiro transmitiram nesta segunda-feira ao diretor de Política Econômica do Banco Central (BC), Carlos Hamilton, avaliação de que a piora do cenário externo terá efeito limitado sobre a inflação brasileira.

Segundo três economistas que participaram de reunião fechada, realizada em São Paulo, a percepção da maioria dos que se manifestaram no encontro foi de que a desaceleração que tende a acontecer no Brasil por conta do desaquecimento global é relativamente pequena --e não justificaria uma queda dos juros.

"A questão da Europa ainda preocupa, mas ninguém está trabalhando com cenário de um novo Lehman Brothers", afirmou à Reuters um dos participantes da reunião. "O menor crescimento global não seria suficiente para fazer com que a inflação convirja à meta no ano que vem."

Os analistas entendem ainda que o mercado interno continua aquecido, sobretudo pelo lado de serviços, onde há pressão inflacionária. As perspectivas de crescimento econômico do país, mesmo com as turbulências externas, continuam robustas: no encontro, falou-se entre 3,5 e 4 por cento neste ano e em torno de 3,5 por cento em 2012.

"Do lado doméstico, a desaceleração (econômica) que tende a acontecer é muito pequena", afirmou um outro economista que também participou da reunião.

O BC promove reuniões regulares com representantes do mercado financeiro para colher impressões sobre o ritmo da atividade econômica, da inflação e do cenário externo. Nos encontros, os representantes da autoridade monetária fala pouco e os economistas são estimulados a fazer suas avaliações sobre a economia.

Na reunião desta segunda-feira, pelo menos um economista manifestou, ainda, preocupação com o cenário fiscal de 2012. A avaliação é que as obras relacionadas à Copa do Mundo e a base política fragmentada do governo da presidente Dilma Rousseff imporão pressão sobre os gastos, ameaçando o cumprimento de um superávit primário --economia feita para pagamento de juros-- próximo a 3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

O mercado financeiro reduziu pela segunda semana consecutiva sua estimativa para a inflação, segundo a sondagem Focus divulgada pelo BC nesta segunda-feira. A previsão para o IPCA (índice de inflação ao consumidor) este ano caiu de 6,28 por cento para 6,26 por cento, e a do próximo passou de 5,27 por cento para 5,23 por cento.

Fonte:
Reuters

0 comentário