Ibovespa acompanha melhora de bolsas no exterior e sobe mais de 1%

Publicado em 22/08/2011 11:15 153 exibições
A semana nas bolsas de valores ocidentais começa com valorização, após o solavanco com os pregões de baixa da semana passada.

O Ibovespa subia 1,13% ,aos 53.039 pontos, por volta das 10h55, em linha com as principais bolsas europeias e dos Estados Unidos.  O índice futuro apontava avanço um pouco mais amplo, de 1,23% ,aos 53.660 pontos.

Entre os papéis mais líquidos da bolsa brasileira, as valorizações mais expressivas eram de Vale PNA (1,31%) e Petrobras PN (1,82%).

"É um começo de semana mais tranquilo, após uma acalmada dos mercados externos, com desempenho bom destacável para Petrobras e empresas do ramo de siderurgia", afirmou Rodrigo Falcão, operador de mercado da Icap Brasil.

Segundo ele, os pregões dos próximos dias tendem a ser determinantes para definir o rumo do indicador após o furor generalizado das praças financeiras desde o rebaixamento da nota soberana dos Estados Unidos pela agência Standard & Poor´s.

"Percebemos que o nível dos 48.000 [do Ibovespa] é um piso, não devemos ultrapassá-lo novamente", disse Falcão. "Quando chegamos nele, entrou gente grande comprando e o indicador subiu." Para ele, dificilmente o patamar de baixa será atingido novamente.

Entre as notíciais nacionais, o mercado manteve a projeção da taxa básica de juros (Selic) para este ano em 12,50%, de acordo com a estimativa levantada pelo Boletim Focus divulgado pelo Banco Central (BC).

Nos Estados Unidos, os principais indicadores também subiam, com Dow Jones em alta de 1,27%, aos 10.955 pontos, o Nasdaq subia 2,30%, a 2.396 pontos, e o S&P 500 se valorizava 1,48%, aos 1.142 pontos

A grande notícia da semana deve vir na próxima sexta-feira, quando o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, participará do tradicional encontro de Jackson Hole.

O contexto político no norte da África e no Oriente Médio também está na mira dos mercados. Rebeldes líbios se aproximam cada vez mais da tomada do poder na capital do país, Trípoli.

Outra região que atrai atenção de operadores é a Síria, onde também há protestos contrários ao presidente Bashar al-Assad. Ativistas de direitos humanos acreditam que cerca de 2 mil pessoas morreram com a ação do governo contra os manifestantes.

As disputas devem influenciar diretamente os preços do petróleo, que já recuavam nas negociações até o momento.

Na Europa, os principais mercados operavam em considerável valorização, também recuperando-se das perdas significativas da semana passada. O índice FTSE 100 da bolsa de Londres subia 2,46%, enquanto osde Paris e Frankfurt se valorizavam 2,93% e 1,73%, respectivamente.

Apesar do clima mais positivo entre os mercados, o ouro, considerado um ativo mais seguro em épocas de volatilidade, alcançava novo patamar recorde.

Bolsas dos EUA trabalham com valorização acima de 1%

A expectativa de novas medidas para estimular a economia americana contribui para o início das operações desta segunda-feira em Wall Street. Os investidores monitoram ainda o movimento de ações do setor de tecnologia e telecomunicações, como Oracle, Cisco e Intel.

Em cerca de 20 minutos de operações, o Dow Jones ganhava 1,45%, para 10.974,69 pontos. O S&P 500 subia 1,46% e somava 1.139,93 pontos. O Nasdaq se situava em 2.382,11 pontos, com elevação de 1,72%.

O presidente do Federal Reserve (Fed), Ben Bernanke, vai discursar no dia 26 em simpósio em Jackson Hole, Wyoming, sobre as perspectivas para a economia dos Estados Unidos no curto e longo prazos.

Um ano atrás, no mesmo encontro, recordou a Bloomberg News, o dirigente do banco central dos EUA mexeu com os mercados financeiros ao comentar que o Fed estava preparado para fazer todo o possível a fim de garantir a recuperação econômica e sugeriu que poderia comprar mais títulos se houvesse uma desaceleração do ritmo de crescimento.

Fonte:
Valor Online

0 comentário