Crise europeia afeta mercado acionário americano

Publicado em 06/09/2011 17:29 402 exibições
A volta das preocupações com a crise das dívidas soberanas na Europa ofuscou a inesperada alta no indicador da atividade do setor de serviços nos Estados Unidos e fez as bolsas americanas encerrarem em baixa nesta terça-feira pós-feriado do Dia do Trabalho.

Em Wall Street, o índice Dow Jones caiu 0,90%, para 11.139 pontos; o Nasdaq perdeu 0,26%, para 2.474 pontos; e o S&P 500 recuou 0,74%, para 1.165 pontos.

O indicador de atividade de serviços nos EUA parece ter sido a única notícia positiva do dia. O Índice dos Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) subiu de 52,7 em julho para 53,3 em agosto. O resultado veio bem melhor do que a queda para 51,0 que era esperada por economistas.

Do outro lado do Atlântico, as encomendas à indústria alemã recuaram 2,8% em julho na comparação com junho, na série com ajuste sazonal. O resultado veio bem pior do que a estimativa de analistas, que era de queda de 1,5% e reverte o aumento de 1,8% registrado em junho ante maio.

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,2% no segundo trimestre deste ano em comparação com o primeiro e 1,6% frente ao segundo trimestre do ano passado.

Na Suíça, o banco central voltou a agir contra a supervalorização da moeda nacional, agora estabelecendo um limite mínimo de 1,20 franco por euro.

Além disso, o dia foi de protestos em alguns países europeus. Na França, ativistas de extrema-direita lançaram milhares de notas falsas de 500 euros no rio Sena, em Paris, para protestar contra a participação do país no pacote de socorro da Grécia e as propostas do governo de mais medidas de austeridade para reforçar as finanças. O protesto ocorreu em frente à Assembleia Nacional, onde os parlamentares estão debatendo o socorro a Atenas e as medidas de austeridade.

Na Itália, uma greve geral fechou o transporte público e o tráfego aéreo. “O país não merece essas medidas”, disse a secretária da Confederação Geral Italiano do Trabalho, Susanna Camusso. Enquanto isso, o governo italiano fazia novamente alterações no pacote de austeridade fiscal proposto para o país, numa aposta para aumentar o apoio político às medidas.

O setor bancário voltou a ser penalizado, com Bank of America recuando 3,7% e JP Morgan perdendo 3,3%. Empresas ligadas a commodities, como a petroleira Exxon Mobil (-1,4%) e a produtora de alumínio Alcoa (-2,2%) também caíram, com a percepção de que a crise europeia vai frear o crescimento da economia mundial, diminuindo a demanda por energia e produtos básicos.

Fonte:
Valor Online

0 comentário