Bolsas da Europa trabalham com valorização; Milão sobe mais de 2%

Publicado em 13/09/2011 10:34 e atualizado em 13/09/2011 11:35 169 exibições
O leilão de títulos da dívida da Itália e a aproximação do país com a China direcionavam, em parte, os negócios nos mercados acionários da Europa. Os investidores estão atentos ainda a notícias envolvendo a Grécia e acompanham o movimento dos papéis de bancos e do câmbio.

Em uma jornada marcada pela volatilidade, há pouco, em Londres, o FTSE 100 aumentava 0,84%, somando 5.172,83 pontos. O CAC 40, de Paris, registrava elevação de 0,64%, somando 2.873,19 pontos. Em Frankfurt, o DAX ganhava 1,68% e se encontrava em 5.157,36 pontos. O Ibex 35, de Madri, avançava 1,97%, ficando em 7.790,90 pontos. Em Milão, o FTSE MIB avançava 2,21%, aos 13.771,43 pontos.

O Tesouro da Itália obteve 6,5 bilhões de euros com a venda de títulos da dívida, pagando um juro mais alto nos papéis com vencimento de 5 anos. O leilão ocorreu em meio a um aumento da diferença entre o título italiano de 5 anos e seu correspondente alemão, usado como referência, assim como nos títulos de 10 anos.

O governo italiano confirmou nesta jornada que manteve conversas de investimentos com uma delegação chinesa, que esteve em Roma na semana passada. Alguns operadores acreditam que Pequim poderia ajudar a Itália em meio à crise da dívida europeia. Há também aqueles que notaram que notícias dessa natureza no passado não contribuíram para acalmar os ânimos.

Fonte:
Valor Online

0 comentário