MERCADO FINANCEIRO: Bolsas em alta à espera de soluções para Zona do Euro

Publicado em 17/10/2011 09:08 240 exibições
O mercado financeiro internacional parece ter iniciado esta semana mais tranquilo e confiante. A expectativa para planos de ajuda e pacotes de medida a favor das economias de países da Zona do Euro afetados pela crise econômica traz um novo fôlego às negociações.

Na Ásia, as principais bolsas de valores fecharam a segunda-feira em alta e na Europa, as bolsas também avançam. Outro fator que contribui para esse movimento positivo são os bons números que os Estados Unidos apresentaram na última sexta-feira.

Ásia - Na China, como informou o jornal O Estado de S. Paulo, os mercados ampliaram da última sexta-feira frente às esperanças de que Pequim poderia relaxar o controle sobre a macroeconomia em setores específicos, além do impulso dos demais fatores.

Na matéria do Jornal Folha de S. Paulo, a alta também foi atribuída à sinalização da Alemanha e da França de que a resolução da crise da dívida na Zona do Euro progride bem.

Europa - Na Europa, as principais bolsas também registração variações positivas. O mercado avança a espera dos planos que visam frear a expansão da crise no Velho Continente. Segundo notícia da Reuters, os investidores voltam às ações aguardando por um ousado pacote de medidas de contenção dos problemas financeiros.

Veja o que dizem os principais meios de comunicação:
(clique nos títulos para ler as notícias na íntegra)

>> Na Reuters: Bolsas europeias operam em alta esperando plano contra crise

As bolsas de valores da Europa operavam em alta nesta segunda-feira, ampliando o forte rali recente, com investidores voltando às ações em meio a expectativas crescentes de que seja apresentado um plano ousado para conter a crise da zona do euro na próxima cúpula da União Europeia. Às 8h05 (de Brasília), o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 subia 0,43%, a 979,76 pontos, tendo alcançado o maior patamar das últimas 10 semanas mais cedo, superando um importante nível de resistência.

"Isso é uma correção do recuo excessivo visto durante o verão. O pior cenário precificado, de defaults de dívida de muitos países da zona do euro ou até a separação do bloco, tem sido evitado", disse Marc Touati, diretor de pesquisa econômica da Assya Global Equities.

As ações cíclicas das companhias de mineração lideravam os ganhos. A BHP Billiton se valorizava em 2%, enquanto a BP disparava 5,2%, depois de acordar os custos de limpeza com a Anadarko, sua parceira no poço que causou o enorme vazamento de petróleo no Golfo do México.

O índice de volatilidade Euro STOXX 50, que mede o temor dos investidores, também tombou à mínima em 10 semanas. Os bancos também eram favorecidos neste pregão. Os papéis do UniCredit subiam 3% e os do BNP Paribas se apreciavam em 1,6%, com investidores deixando de lado o rebaixamento pela Standard & Poor's.

>> Na Folha: Bolsas da Ásia sobem após pedido do G20 por zona do euro

As Bolsas de Valores asiáticas fecharam em alta nesta segunda-feira, depois que Alemanha e França disseram, no fim de semana, estar fazendo bom progresso no plano para resolver a crise de dívida da zona do euro e recapitalizar seus bancos.

Resultados empresariais também ajudaram o tom positivo dos mercados, assim como dados melhores que o esperado sobre o varejo dos Estados Unidos.

Mas o rali das commodities perdeu força, com aversão a risco, destacando preocupações de que ainda haja muito trabalho a fazer para evitar o derretimento do sistema financeiro da Europa.

Os ministros de Finanças e banqueiros centrais do G20 disseram em uma reunião em Paris que esperam que os líderes da zona do euro "lidem decisivamente com os desafios atuais através de um plano abrangente" na cúpula da União Europeia, em 23 de outubro.

O índice MSCI das ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 2,11%. O setor de recursos naturais no MSCI ganhava mais de 2%, impulsionado pela disparada das ações da Rio Tinto.

Em Tóquio, o índice Nikkei fechou em alta de 1,5%. O índice de Seul subiu 1,62%. O mercado se apreciou 2,01% em Hong Kong e a Bolsa de Taiwan avançou 1,40%, enquanto o índice referencial de Xangai ganhou 0,37%. Cingapura subiu 1,27% e Sydney fechou com valorização de 1,66%.

Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário