Folha volta a adiantar possível troca de presidente da Funai

Publicado em 06/05/2013 12:14 e atualizado em 07/05/2013 11:17 996 exibições
Nesta quarta-feira (8), acontece a audiência pública com a ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, com a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural para tratar das novas demarcações de terras indígenas. 

A ministra foi convocada por um requerimento extra pauta e, de acordo com a coluna Painel da Folha de São Paulo desse domingo (5), Gleisi deverá aproveitar o depoimento que fará para criticar a postura da Funai (Fundação Nacional do Índio) na questão dessas novas demarcações.

Além disso, o jornal voltou a adiantar uma possível troca de liderança na entidade, indicando qual será a diretriz da Funai após a troca de seu presidente, além de mostrar quea Funai não é majoritária no governo. 

Na Agência Câmara: Ministra da Casa Civil virá à Câmara esclarecer demarcação de terras indígenas

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleise Hoffmann virá à Câmara na próxima quarta-feira (8) para prestar esclarecimentos sobre os processos de demarcação de terras indígenas.

Como a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou a convocação e não convite, a ministra é obrigada a comparecer.

O deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), um dos que solicitou o debate, diz que os conflitos entre indígenas e produtores rurais têm aumentado muito no Brasil nos últimos anos.

Segundo os produtores rurais, os processos de demarcação estão sendo realizados sem que os produtores e os municípios tenham acesso às informações.

Hoje, a demarcação depende do laudo antropológico da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da manifestação dos envolvidos - estados, municípios, produtores e índios- mas, a decisão final é dada pelo Poder Executivo.

Heinze reclama que os produtores estão sofrendo com a pressão da Funai que, segundo eles, ao longo dos anos vem retirando dos produtores milhares de hectares para serem transformados em reservas indígenas. "Estamos denunciando laudos antropológicos fraudulentos. Estamos denunciando áreas da Funai que estão sendo arrendadas para o plantio de lavouras, sendo hoje exploradas com diamantes por exemplo, como é o caso de Rondônia. São várias as situações irregulares e a Funai continua nesse processo, nessa voracidade."

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem hoje cerca de 740 mil indígenas divididos em mais de 200 etnias.

Também solicitaram o debate os deputados Duarte Nogueira (PSDB-SP), Valdir Colatto (PMDB-SC) e Domingos Sávio (PSDB-MG)

Manifestação
Luiz Carlos Heinze informou que os produtores estarão em Brasília na quarta-feira para pressionar o governo a reeditar a Portaria 303/12 da Advocacia Geral da União que determina que os trâmites para demarcação de novas reservas indígenas siga os moldes da demarcação da Reserva Raposa Serra do Sol.

A reunião será realizada às 10 horas, no Plenário 6.
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • HAROLDO FAGANELLO Dourados - MS

    Esse documento da Embrapa (essa sim é uma autarquia seria e honesta), acaba de comprovar que precisamos de uma CPI da Funai e de seus braços ativos e perversos.Temos que fazer uma campanha agora para que seja punidos ao rigor da lei toda a cúpula desse órgão e de outros que se posicionam e adotaram medidas contra os produtores rurais. Além de cadeia para eles vamos solicitar aos índios que exijam deles tudo o que eles prometeram demagogicamente, em espécie, em dinheiro.Inclusive o Sr. Ministro da Justiça deve ser convocado também e explicar que tipo de reforço ele quer dar mesmo para a Funai? Explique-nos sem rodeios e sem mentiras. Não somos palhaços, exigimos limpeza ideológica nesse des"governo".

    0
  • Edison tarcisio holz Terra Roxa - PR

    fora comunistas de cuba e venezuela aqui no brasil não pois a dilma falou em campo grande que aqui é democracia sera?

    0