Por rapidez em “pacificação” em MS, presidente Dilma pede ajuda à igreja

Publicado em 03/06/2013 09:37 487 exibições

O Governo Federal acredita que a rapidez com que foi feita a o processo de desocupação da fazenda Buriti, em Sidrolândia, foi culminante para que houvesse conflito e acirramento na disputa entre índios e fazendeiros.

A informação foi publicada neste domingo (2) pelo jornal O Estado de São Paulo, que também apontou que presidente Dilma Roussef pediu rapidez aos seus auxiliares nos trabalhos de pacificação no Mato Grosso do Sul. Ela teria ficado chocada com a morte do índio Oziel Gabriel.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, foram escalados para articular acordos a partir desta segunda-feira (3), a fim de suspender momentaneamente as reintegrações de posse no Brasil.

Leia a reportagem na íntegra no site Campo Grande News

 

 

Fonte:
Campo Grande News

1 comentário

  • gerd hans schurt Cidade Gaúcha - PR

    Nossa, não dá para acreditar. O nosso governo está demonstrando fraqueza em articular acordos afim de suspender momentaneamente as reintegrações de posse de propriedades invadidas. Agora que a Coisa tomou volume estão com medo das repercuções negativas sobre as próximas eleições.O conforto acabou, não é mais possível ficar deitado em berço esplêndido

    0