Questão indígena: População se revolta contra índios munduruku em Jacareacanga (PA)

Publicado em 13/05/2014 15:32 e atualizado em 13/05/2014 19:52 801 exibições

A polícia civil de Jacareacanga, no oeste do Pará, tenta neste momento conter um grande tumulto na cidade depois que uma horda de índios munduruku invadiu a câmara municipal e a prefeitura do município há uma semana, conforme mostramos aqui ontem. A população reagiu contra a ação dos índios e há confronto. Segundo o delegado Lucivelton Santos, os ânimos estão exaltados. O confronto teria começado após um protesto.

sub+indios.jpg

De acordo com a Funai de Itaituba, que acompanha o caso através de uma equipe presente no município, os índios munduruku reclamam da demissão de professores indígenas, mas as informações sobre a natureza do confronto estão desencontradas. Relatos de moradores atestam que a residência dos professores do município foi incendiada pelos índios, mas a ocorrência ainda não foi confirmada pela polícia. A esgotosfera indigenista nas redes sociais diz que os índios estão sendo atacados a paus e pedras pela população revoltada. 

Moradores de Jacareacanga estão em guerra contra os índios mundukuro que atearam fogo em casa de professor  
(fonte: Blog do J Campos) 

Um grupo de moradores de Jacareacanga, no oeste do Pará, organizou uma passeata nesta terça-feira (13), após incêndio em uma casa de professores do município que teria sido provocado um grupo de índios da etnia Munduruku, na noite última segunda-feira (12). Segundo a polícia, os incêndio teria sido um protesto pela demissão de 70 professores indígenas do município. O caso está sendo acompanhado pela Funai.

Segundo a polícia, os professores demitidos trabalhavam para a secretaria de educação de Jacareacanga, mas não tiveram os contratos renovados por não terem formação acadêmica para lecionar. A destruição parcial da casa dos professores teria sido uma forma de pressionar para a recontratação dos indígenas. A Funai ainda não se manifestou sobre as demissões de professores. De acordo com o delegado Lucivelton Santos, a casa só não foi totalmente consumida porque o fogo foi contido por vizinhos do imóvel.

"Os índios queimaram a casa de apoio dos professores na noite de segunda. Hoje, as aulas foram suspensas e a população fez uma passeata na frente da prefeitura. Durante esta passeata houve princípio de confronto, os índios estavam com flechas, paus, terçados e outros instrumentos de guerra, mas fizemos um cordão para que não houvesse agressão", disse o delegado Lucivelton Santos. O incêndio está sendo investigado pela polícia, que ainda não identificou o grupo que teria sido responsável pelo vandalismo.

Fonte:
Blog Questão Indígena

2 comentários

  • geraldo emanuel prizon Coromandel - MG

    Como bem observou o Sr. Emanuel Geraldo (imperatriz-MA), sobre as armas... E, digo mais, não se trata de armas comuns, são armas utilizadas por grupos terroristas vistas frequentemente em coberturas televisivas. A pergunta é: quem está fornecendo este armamento aos índios?

    0
  • Emanuel Geraldo C. de Oliveira Imperatriz - MA

    > E a exposição dessas armas, o MJ, FUNAI, CIMI, MPF, AGU, ...ninguém diz nada? E se essa exposição fosse feita por não-índios numa situação dessas, seriam presos?

    0