Produtores redobram monitoramento contra ferrugem asiática

Publicado em 13/01/2012 10:32 704 exibições
A Aprosoja/MT alerta todos os produtores quanto ao aumento diário de casos da ferrugem asiática nas lavouras de soja no estado. Em apenas uma semana os números de focos aumentaram significativamente e nesta quinta (12.01) o sistema de alerta do Consórcio Nacional Antiferrugem já havia registrado 24 casos em todo o Mato Grosso.

Preocupada com a disseminação da doença e os impactos que ela pode trazer à safra de soja, a Aprosoja ampliou o Projeto Antiferrugem, com a instalação de mais um mini-laboratório instalado em Campos de Júlio.

De acordo Nery Ribas, gerente técnico da Aprosoja, diante do aumento do número de focos da ferrugem asiática, o produtor precisa estar atento ao combate e prevenção em meio às chuvas neste período de início da colheita. “A palavra chave nesse momento é monitoramento. O produtor precisa fazer um monitoramento efetivo, com acompanhamento diário da lavoura para evitar maiores prejuízos.”

Em Mato Grosso, os "estádios" da doença variam dos níveis R-1 ao R-5, essa nomenclatura representa a fase do desenvolvimento do fungo na planta atingida.
Para o vice-presidente da Aprosoja na Região Oeste, Alex Utida, a aplicação incorreta do fungicida está diretamente ligada à proliferação da ferrugem nas lavouras mato-grossenses. “É preciso ter cuidado. O produtor tem que fazer as aplicações corretamente e tomar todas as precauções para evitar que essa doença se espalhe ainda mais”.

Ainda de acordo com Utida, produtores que economizaram na aplicação do defensivo estão registrando prejuízos na produtividade do grão. “Já temos registrado algumas perdas em relação à produtividade na colheita. Se compararmos áreas em que o produtor economizou na aplicação com locais onde a aplicação foi feita corretamente temos dados que apontam queda de aproximadamente 15 a 20 sacas por hectare.

”PROJETO ANTIFERRUGEM

Nesta safra, o Projeto Antiferrugem possui 11 mini-laboratórios instalados em cidades núcleos da Aprosoja. O intuito é monitorar da incidência da ferrugem da soja, auxiliando o produtor na identificação da doença. Os mini-laboratórios são equipados com lupas digitais de aumento de 200X e conta ainda com um técnico capacitado para identificar as doenças.

O Projeto Antiferrugem da Aprosoja/MT conta nesta safra 2011/2012 com a parceria da Embrapa, do Consórcio Antiferrugem e com a Basf, que cederá as lupas digitais (Digilab).

Municípios Participantes: Querência, Canarana, Nova Xavantina, Gaúcha do Norte, Campo Verde, Jaciara, Rondonópolis, Alto Taquari, Tapurah, Vera e Campus de Júlio.

Tags:
Fonte:
Aprosoja

0 comentário