Soja: Agência Safras & Mercado estima redução de 6% na produção brasileira

Publicado em 30/01/2012 09:37 1017 exibições
A produção brasileira de soja na temporada 2011/12 deverá totalizar 70,273 milhões de toneladas, recuando 6% na comparação com a safra anterior, que ficou em 74,380 milhões de toneladas. A previsão faz parte de levantamento divulgado hoje por Safras & Mercado. No relatório anterior, divulgado no dia 26 de dezembro, a previsão era de safra de 74,651 milhões de toneladas.

O corte de 5,86% da estimativa anterior para a atual foi determinado pela prolongada estiagem na região Sul do país, durante o mês de dezembro e o início de janeiro. A estimativa de área plantada passou de 24,170 milhões de hectares em 2010/11 para 24,968 milhões na atual temporada, com aumento de 3%. Safras trabalha com rendimento médio de 2.815 quilos por hectare, contra os 3.077 quilos obtidos no ano passado.

O Rio Grande do Sul foi o estado mais prejudicado pela falta de chuvas. A produção, que no ano passado foi de 11,5 milhões de toneladas, deverá cair para 7,8 milhões de toneladas, com corte de 32%. No Paraná, a safra deverá ter quebra de 23%, recuando de 15,4 milhões para 11,9 milhões de toneladas. O Mato Grosso continua líder no ranking de produção nacional, com produção estimada em 22,272 milhões de toneladas, representando um crescimento de 9% sobre as 20,5 milhões de toneladas obtidas em 2010/11.

"Em novembro ainda tínhamos um quadro climático predominantemente favorável para o plantio e o desenvolvimento da soja no país, com exceção de alguns bolsões de estiagem no sul/sudoeste de Goiás, sul/oeste do Mato Grosso e norte do Mato Grosso do Sul. Mas em dezembro e em boa parte de janeiro formou-se um quadro de estiagem em parte importante da região Centro-Sul, especialmente na parte sul do Mato Grosso do Sul, oeste de São Paulo, norte e oeste do Paraná, oeste de Santa Catarina e boa parte do Rio Grande do Sul", indica o analista sênior da Consultoria Safras & Mercado, Flávio França Júnior.

O cenário também vale para boa parte da área plantada no Paraguai e norte/Pampa Úmido na Argentina. As chuvas registradas nos últimos 10 dias amenizaram essa situação e estabilizaram as perdas em boa parte dessa região. "Entretanto, a situação permanece ainda preocupante, e com perdas em evolução, nas lavouras do Rio Grande do Sul, onde as chuvas acumuladas não foram gerais e nem tão pouco volumosas. Por esse motivo os próximos levantamentos podem ainda trazer alterações nas projeções de rendimento desta nova safra", completa o analista.

Tags:
Fonte:
Agência Safras

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário