Soja: Em GO, estiagem compromete a produtividade e excesso de chuvas atrasa colheita

Publicado em 13/02/2012 06:14 929 exibições
Além de atingir os estados do Sul do país, a estiagem também comprometeu a produtividade de muitas lavouras em Goiás. Na região de Jataí, a falta de chuva prejudicou o desenvolvimento da planta e facilitou o ataque de pragas. 

Na propriedade do agricultor Danilo Aimi, cerca de 300 hectares de soja foram comprometidos pelo veranico. Segundo o produtor, a plataforma da colheitadeira não alcança as vagens em razão do pequeno porte das plantas. “A gente está perdendo na faixa de dois a três sacos por hectare, que fica na lavoura”, diz Aimi. 

Sobre as pragas, o sojicultor afirma que “a lagarta da maçã do algodão está comendo os grãos da soja. O combate tem de ser duro e com doses pesadas. Nós temos de fazer duas aplicações a mais em relação ao normal. O custo dessa aplicação está ficando na faixa de 2,5 sacos a três sacos por hectare”. 

Enquanto a estiagem comprometeu o bom desenvolvimento das plantas e sua produtividade, agora os sojicultores da região também sofrem com o excesso de chuva na hora da colheita. Por conta da umidade, as máquinas são impedidas de entrarem nos campos.Além de atingir os estados do Sul do país, a estiagem também comprometeu a produtividade de muitas lavouras em Goiás. Na região de Jataí, a falta de chuva prejudicou o desenvolvimento da planta e facilitou o ataque de pragas. 

Na propriedade do agricultor Danilo Aimi, cerca de 300 hectares de soja foram comprometidos pelo veranico. Segundo o produtor, a plataforma da colheitadeira não alcança as vagens em razão do pequeno porte das plantas. “A gente está perdendo na faixa de dois a três sacos por hectare, que fica na lavoura”, diz Aimi. 

Sobre as pragas, o sojicultor afirma que “a lagarta da maçã do algodão está comendo os grãos da soja. O combate tem de ser duro e com doses pesadas. Nós temos de fazer duas aplicações a mais em relação ao normal. O custo dessa aplicação está ficando na faixa de 2,5 sacos a três sacos por hectare”. 

Enquanto a estiagem comprometeu o bom desenvolvimento das plantas e sua produtividade, agora os sojicultores da região também sofrem com o excesso de chuva na hora da colheita. Por conta da umidade, as máquinas são impedidas de entrarem nos campos.

Com informações do G1. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário