Soja se recupera e fecha com leve alta. Milho e trigo terminam negativos

Publicado em 01/03/2012 16:53 855 exibições
O mercado internacional da soja mostrou que continua sustentado e, contrariando a abertura negativa, fechou o dia no azul. Foram leves ganhos já que as cotações ainda se mostram suscetíveis aos movimentos de realização de lucros.   

O cenário fundamental permanece o mesmo para oleaginosa: a quebra na produção da América do Sul foi bastante séria e a demanda pela soja norte-americana vive um momento aquecido e de firmeza.  

"Os preços sobem, mas eles não sobem em linha reta. Eles precisam parar um pouco para respirar e depois retomar a tendência de mais longo prazo", disse o analista de mercado Pedro Dejneka, da PHDerivativos, direto de Chicago. 

No entanto, Dejneka disse ainda que qualquer momento de recuo no momento da soja seria curto. Nesta quinta-feira, os preços operaram com volatilidade e oscilaram bastante entre os campos positivos e negativos. 

O mercado, como há alguma sessões vem acontecendo, continua encontrando sustentação no apertado quadro de oferta e demanda da soja. As perdas na colheita sulamericana estimularam os importadores a garantirem seus estoques com a commodity norte-americana, mas, nos EUA, as reservas também seguem bastante ajustadas.  

Além disso, a soja ainda precisa vencer do milho a batalha por área nos Estados Unidos, e para isso precisa continuar registrando preços atrativos para que os produtores optem pela oleaginosa em detrimento do cereal. 

Essas expectativas também devem seguir contribuindo para novas altas em Chicago.  "Precisamos ter uma safra quase perfeita aqui nos Estados Unidos para aliviar a situação fundamental da soja", completou o analista. 

Essa firmeza, porém, parece não ter sido registrada nos mercados do milho e do trigo. Apesar da leve alta da soja, os grãos não conseguiram passar para o campo positivo e fecharam o dia no vermelho. 

Confira como ficaram os preços no fechamento desta quinta-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário