Emater incentiva cultivo de soja em Altamira para reduzir custo da ração

Publicado em 23/03/2012 07:17 428 exibições
Em uma experiência inédita, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) começou a produzir soja no município de Altamira, na região do Xingu. Na Unidade Demonstrativa (UD) implantada na propriedade do agricultor familiar Nelson Gonçalves da Costa, no Projeto de Assentamento Assurini, estão sendo cultivadas quatro variedades de soja.

O projeto atenderá exclusivamente à demanda local de produtores de suínos e outros pequenos animais, assistidos pela Emater, no preparo da ração que alimenta os animais. Feita a partir do farelo de soja, a ração acaba custando caro ao pequeno produtor, porque a matéria prima precisa ser comprada em outros municípios. 

Um saco de farelo de soja, no mercado de Altamira, pode ser vendido por até R$ 60,00. O projeto pode resultar em uma redução em torno de 35% nos custos de produção de ração.

A partir de maio começa a colheita. Segundo o técnico da Emater, Ademar Rodrigues, no Projeto de Assentamento foi plantado um hectare de soja, a partir de semente certificada pelo Ministério da Agricultura. A expectativa é colher pelo menos 30 sacos de grãos. O produto será beneficiado na propriedade do agricultor familiar.

O Projeto de Assentamento Assurini, maior produtor de pequenos animais em Altamira, tem um dos melhores rebanhos suínos da região, com raças puras do tipo Sorocaba, Pietran, Landrace e MS-111.
Tags:
Fonte:
Agência Pará de Notícias

0 comentário