Após dados do USDA, soja e milho operam com boas altas na CBOT

Publicado em 02/04/2012 12:14 e atualizado em 02/04/2012 14:27 1214 exibições
A soja abriu o pregão regular desta segunda-feira com altas de mais de 20 pontos na Bolsa de Chicago e os preços continuam disparando ao longo da sessão. O mercado sobe apoiado ainda nos dados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgados na última sexta-feira (30). Por volta das 13h50, os principais vencimentos da oleaginosa subiam mais de 24 pontos, o contrato maio/12, referência para a safra brasileira, era cotado a US$ 14,27. 

O boletim divulgado no final da semana passada trouxe uma redução na estimativa para a área de soja maior do que o esperado pelos traders. De acordo com o relatório, os produtores norte-americanos deverão cultivar 29,91 milhões de hectares (73,9 milhões de acres) com a na safra 2012/13.

Com isso e mais o cenário ajustado de oferta e demanda, o mercado recebeu o estímulo e vive um bom momento na Bolsa de Chicago. Porém, realizações de lucros já são sinalizadas por alguns analistas. 

A redução na área estimada pelo departamento norte-americano veio na contramão das projeções do mercado, que apostavam em um aumento de cerca de 0,7% ao espaço destinado para a soja. 

O USDA, portanto, acabou surpreendendo o mercado, o que fez com que o mercado se estimulasse ainda mais, haja visto que já vinha encontrando sustentação nos fundamentos positivos de oferta restrita e demanda aquecida.

China - Atualizando como catalisador das altas de hoje, o USDA ainda anunciou a venda de mais 120 mil toneladas de soja dos EUA para a China, maior importador mundial da commodity. As compras da nação asiática confirmam o momento aquecido da demanda pelo produto dos EUA. 

Milho - Os futuros do milho também registram um dia positivo. Nesta segunda-feira, o cereal encerrou o pregão noturno em campo misto, porém, abriram a sessão regular em alta e está ampliando seus ganhos ao longo do andamento dos negócios. 

O aperto na oferta é o que está sustentando o mercado, já que a área estimada pelo USDA Para o plantio de milho deverá ser a maior desde 1937. Os estoques trimestrais norte-americanos do cereais reportados pelo departamento ficou bem abaixo do que o esperado pelos traders e o cenário vem atuando como motivo de alta para as cotações. 

"O milho e o trigo continuam subindo em função do ajustado quadro de oferta e demanda e dos temores de abastecimento. Se os Estados Unidos tiverem problemas climáticos pelo terceiro ano consecutivo, os preços serão explosivos", disse Don Roose, presidente da U.S. Commodities, em West Des Moines, Iowa. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário