Brasil pode colher 82 milhões de toneladas de soja na safra 2012/2013

Publicado em 27/07/2012 08:42 682 exibições
Presidente da CNA lembra que cenário externo e medidas oficiais de apoio ao setor garantirão aumento da produção brasileira.
A comercialização de insumos no Brasil, em especial de fertilizantes, sinaliza que a área plantada com soja, na safra 2012/2013, que começa a ser cultivada em meados de setembro, será de 27 milhões de hectares, com aumento de dois milhões de hectares em relação à safra anterior. A avaliação é da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que estima colheita de 82 milhões de toneladas de soja no ano-safra. “O cenário externo favorável em termos de preços e as medidas de apoio anunciadas pelo Governo federal estimularão o plantio”, afirma a presidente da CNA, senadora Kátia Abreu. Ela alerta, no entanto, que a confirmação da previsão depende das condições climáticas durante o período de plantio, desenvolvimento e colheita das lavouras.

O aumento dos preços das commodities agrícolas no exterior vai influenciar de forma positiva o plantio das lavouras de grãos e fibras no Brasil, na safra 2012/2013, com colheita de cerca de 176 milhões de toneladas. Os contratos futuros de soja na Bolsa de Chicago, referência de preços para muitas commodities agrícolas, atingiram níveis recordes, sendo que o contrato com vencimento em agosto subiu 10,2% somente na média dos pregões realizados na semana passada. As notícias sobre as condições climáticas nos Estados Unidos têm influenciado de forma muito intensa o mercado, deixando-o volátil.

Apesar do cenário externo, a expectativa de plantio não é tão otimista para o milho quanto para a soja, pois, no Brasil, as duas culturas disputam espaço, especialmente na região Centro-Sul. Nessa região, a expectativa é de queda de até 10% na área plantada com milho de verão na safra 2012/2013 em relação ao período anterior. A presidente da CNA explica que a preferência pela soja é justificada pela maior liquidez, menor custo e maior facilidade na obtenção de créditos, além da rentabilidade, que sinaliza ganho líquido médio de R$ 25,00 por saca de 60 quilos na safra 2012/2013.

Para a safrinha de milho, também há expectativa de redução da área plantada, para 6,2 milhões de hectares, com potencial de produção de 34 milhões de toneladas na região Centro-Sul. Somadas as duas safras, a produção nacional de milho poderá somar 68 milhões de toneladas, com queda de dois milhões de toneladas na comparação com o volume produzido na safra 2011/2012. A CNA lembra que, se confirmadas as estimativas, o cenário é de preocupação para os produtores de aves, suínos e leite, em função da perspectiva de aumento dos custos de produção.
Tags:
Fonte:
CNA

1 comentário

  • José Roberto de Menezes Londrina - PR

    Assim como sempre. A safra 2012/13 poderá ser novo recorde de prejuízos e dificuldades para os agricultores brasileiros. Antes de cair nas armadilhas das políticas de governo para produzir comida barata e aumentar a arrecadação de impostos, nos discursos otimistas das lideranças das entidades de classe do agronegócio e/ou nas estratégias comerciais das empresas de insumos: lembre-se das frustrações do passado. A soja de R$52,00 no plantio e R$19,00 na colheita. O milho R$30,00 que virou R$10,00. O trigo de R$46,00 que virou R$22,00. O recente algodão de R$120,00 que virou R$50,00. O momento é para realizar lucros e não aumentar custos. Os insumos já subiram. A abertura de novas áreas exige grandes investimentos e deverá gerar prejuízos. Os investimentos com abertura de novas áreas devem ser feitos nos períodos de preços baixos. Antes de gastar trilhões e colher bilhões. Gaste milhões para colher bilhões. Boa safra com redução de custo.

    0