Grãos: Mercado tem forte alta nesta quarta-feira liderada pelo trigo

Publicado em 29/08/2012 17:56 1286 exibições
A quarta-feira terminou com os grãos registrando uma forte e expressiva alta no mercado internacional. O trigo e a soja fecharam a sessão com mais de 30 pontos de alta na Bolsa de Chicago e o milho com quase 20 em seus principais contratos. Os fundamentos de oferta e demanda ainda são os principais fatores de sustentação para as cotações. 

Segundo analistas, quem puxou esse intenso avanço dos grãos foi o trigo. O catalisador das altas no mercado do cereal continua sendo as preoupações com a produção na Rússia. Uma severa estiagem vem deteriorando a colheita do país e deverá reduzir drasticamente a safra local. 

Dessa forma, os investidores temem que o governo russo possa restringir suas exportações de trigo, motivo que vem conferindo expressivas altas para os preços em Chicago nas últimas semanas. Nesta sexta-feira (31), as autoridades locais realizam uma reunião para decidir sobre essa possível proibição. 

Caso essas medidas sejam de limitar ou até mesmo proibir as vendas externas do produto russo, a demanda pelo trigo norte-americano deve aumentar e estimular novas altas no mercado internacional. 

Os futuros da soja também fecharam o dia com bons ganhos. Além da influência positiva do mercado vizinho, o mercado ainda conta com um cenário fundamental bastante positivo. A oferta mundial da oleaginosa se mostra cada vez mais limitada e a demanda segue bastante aquecida. Nem mesmo os altos e históricos preços têm desestimulado as compras. 

Porém, apesar dessas altas registradas hoje, analistas afirmam que o mercado precisa de novidades consistentes para volta a subir com a mesma intensidade de semanas atrás. Esse novo combustível deverá vir de informações sobre a demanda, pois o mercado precisa saber qual será o preço que será capaz de racioná-la. 

O milho subiu na esteira da soja e do trigo e ainda contabiliza altas por conta das perdas severas na produção dos Estados Unidos causadas pela seca que castigou a produção do país. No entanto, a demanda pelo cereal norte-americano não continua tão ávida frente aos altos preços registrados em Chicago, o que acaba limitando avanços ainda mais expressivos. 

Veja como ficaram as cotações dos grãos no fechamento desta quarta-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário