Soja: Mercado foca ajuste severo na oferta e fecha com boas altas

Publicado em 03/12/2012 19:23 964 exibições
O mercado internacional de grãos iniciou a semana em alta na Bolsa de Chicago. No pregão desta segunda-feira, os futuros da soja, do milho e do trigo trabalharam durante todo o tempo em alta, porém, apenas a soja e o milho fecharam o dia do lado positivo da tabela. O trigo acabou encerrando os negócios com uma leve realização de lucros.  

Ao longo do dia, as cotações da oleaginosa chegaram a subir mais de 20 pontos, porém, foram aos poucos devolvendo os ganhos e terminaram a sessão subindo pouco mais de 15 pontos nas principais posições. Os ganhos do milho não chegaram ao 3 pontos nos vencimentos mais negociados. 

O mercado se mostra mais consistente, tentando firmar uma nova tendência de alta para os preços da soja diante de fundamentos ainda muito positivos: a oferta segue muito apertada e a demanda se mantém bastante firme. Além disso, as preocupações com a safra da América do Su, diante, principalmente de adversidades climáticas na Argentina, também preocupam os investidores. 

"O clima na América do Sul, muito embora em boa parte do Brasil esteja sendo considerado favorável, para algumas partes não está sendo bom, principalmente na Argentina. E isso tem colocado um pouco de prêmio de clima no mercado, que lembra bem do ano passado quando isso começou a acontecer em dezembro e o problema se agravou entre janeiro e fevereiro, e o mercado veio a precificar um forte rally de alta", explica Vinícius Ito, analista de mercado da Jefferies Corretora, de Nova York. 

Além disso, há ainda os estoques historicamente baixos nos Estados Unidos, e as exportações, não só do grão de soja, mas também de óleo e farelo, contribuindo para a recuperação dos preços da commodity em Chicago. Até a semana passada, os EUA já haviam vendido todo o volume estimado para o ano de óleo de soja, ainda faltando 10 meses para o final do ano comercial. 

"Do lado da demanda, também há notícias boas, ou pelo menos sustentáveis, que deveriam ajudar o mercado. Nós tivemos o estabelecimento do que chamamos de piso sazonal com a colheita, o mercado beirou a casa dos US$ 14, e depois somou interesse no mercado físico, e agora tenta estender para os US$ 14,50 que vimos no primeiro vencimento", confirma Ito.   

Veja mais informações sobre o fechamento desta segunda-feira na entrevista de Vinícius Ito:


Milho - Assim como a soja, o milho também fechou a sessão desta segunda-feira em alta na Bolsa de Chicago. O mercado, segundo analistas, caminhou na esteira da soja, acompanhando as altas do mercado vizinho. 

Porém, os futuros do cereal também encontram suporte em seus fundamentos, já que a situação de oferta é ajustada nos Estados Unidos e na Argentina, grande produtor mundial de milho, a safra segue sob a ameaça das condições climáticas adversas. Por conta das chuvas excessivas, o plantio do milho argentino está atrasado e isso já começa a atrair a atenção dos investidores. 

Trigo - Apesar de trabalhar em boa parte da sessão do lado positivo da tabela, o mercado do trigo acabou recuando e fechando em campo negativo. Analistas afirmam que apesar dos bons fundamentos também para o grão, as notícias de chuvas em importantes regiões produtoras dos EUA acabaram pressionando e pesando sobre os negócios. 

Veja como ficaram as cotações dos grãos no fechamento desta segunda-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário