Transporte da safra 2012/13 em MT pode ficar 56% mais caro, diz IMEA

Publicado em 26/12/2012 09:04 e atualizado em 26/12/2012 09:42 1167 exibições
    A grande surpresa da safra 2012/13 em termos de custo de produção poderá ficar por conta do transporte. Segundo projeções do IMEA (Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária), transportar a safra soja, por exemplo, pode ser até 56% mais caro do que o registrado na última temporada. No pico do escoamento da produção, em março, o frete rodoviário pode chegar a R$ 310 por tonelada (ante R$ 198 em março de 2011) no trajeto entre Sorriso-MT  e o
porto de Paraguá-PR.
    De acordo com o grupo de pesquisa e extensão em logística da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz (Esalq), diversos fatores vêm pressionando o custo. Entre eles se destacam a quebra da safra americana, que fez crescer a demanda por soja do Brasil, a alta do óleo diesel e o escoamento de uma produção recorde de milho de inverno de Mato Grosso.
  
Tags:
Fonte:
Da redação

6 comentários

  • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

    Pede se a Aprosoja e pessoal responsável e que entendam a importancia da agricultura ,sindicatos de produtores Rurais e politicos da base ruralista de maneira geral que comecem a mudança dos modais das áreas e regiões longe dos portos ou então os produtores ficarão com pouca margem de lucro. Quem vai ficar bem de vida serão os motoristas e freteiros e transportadores de uma maneira geral e os pedágios. Ferrovias e hidrovias eficientes já !! Isto vale principalmente para o Mato Grosso, que está longe dos portos e tem densidade populacional baixa.

    0
  • márcio costa rodrigues macapá - AP

    Correção, onde se lê Missipi, leia-se Mississipi

    0
  • márcio costa rodrigues macapá - AP

    Temos aqui no Amapá, um porto praticamente ocioso. Porque não usar o Araguaia-Tocantins para chegar até aqui? Pelo menos os especilistas afirmam que o frete hidroviário é mais em conta.

    A exemplo dos elevators usados no Missipi.

    0
  • isaac comelli Aral Moreira - MS

    Falam tanto,em baratear custos!!!Por muitos anos, no escoamento de grãos!!!Tambem falaram da ferrovia via pacifico pelo Chile,ninguem falou mais nada,caiu no esquecimento, que reduziria em muito os custos,do jeito que nassas rodovias são feitas nunca vão suportar a grande quantidade de caminhões que escoam a safra agricolas, alem disso o grande congestionamento de carretas ocasionando muitos acidentes.Me paresse que o ministro do transporte não anda nestas rodovias para ver e sentir o quanto e perigoso transitar nas mesmas.

    0
  • salvador reis neto Santa Tereza do Oeste - PR

    caro virgilio de guaira pr; a bancada ruralista de rural nao tem nada nao sao agricultores nunca trabalhou no sol, sao donos de latifundios, de consecionaris de maquinas agriculas,sindicalistas, donos integaradoras, de cerealistas, exportadores etc. se dizem ruralista mas so defendem seus proprios interesses e nada mais, quem paga todo custo da logistica ruim desse pais somos nos, o coitado do produtor, eles os ruralistas ta tudo bem, nao sai do bolso deles.

    0
  • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

    Será que nào está na hora de os agricultores terem um frete mais barato?? Simples,, pouca rodovia dentro do possível e muita ferrovia e hidrovia,, ou agregar valor e produzir combustiveis e carnes de alto valor nas regiões produtoras de graõs.

    A Aprosoja & Cia da vanguarda dos produtores precisa de agir rápido. Ferrovias,,, eclusas e comportas nas barragens hidroelétricas além de industrias nas áreas produtoras de soja e milho. Portos na região norte, em Rondonia, Pará

    , Maranhão e Amazonas. Menor numero de reservas naturais e indígenas. Chega de reforma agrária.

    Acorda bancada ruralista.!!!

    0