Soja: negociações seguem em ritmo lento no mercado interno

Publicado em 18/02/2013 18:40
1409 exibições
As negociações da soja 2012/13 seguem em ritmo lento no mercado interno brasileiro. Devido à redução nos preços praticados, os produtores têm preferido segurar os produtos à espera de cotações melhores. Segundo o diretor da CentroGrãos Famato, João Birkhan, a saca da soja que estava sendo comercializada a R$ 51,00 recuou para R$ 42,00 em Sorriso (MT). 

Essa diminuição dos preços no mercado interno são reflexos das recentes baixas em Chicago somado à queda do dólar. E por isso, não estão sendo feitas negociações, estão apenas cumprindo contratos firmados anteriormente. Nesses níveis, acredito que os produtores não querem vender a soja, afirma. 

Entretanto, o diretor destaca que no mercado internacional de grãos os fundamentos ainda não se modificaram. A demanda chinesa pela soja permanece aquecida e não dá sinais de retração, os estoques norte-americanos são apertados e o Brasil terá que enfrentar os problemas logísticos para conseguir escoar a produção da atual temporada. 

Os portos brasileiros já estão congestionados, conforme relata Birkhan. E por outro lado, os compradores não podem esperar o que pode gerar um direcionamento da demanda para os EUA. Isso vai enxugar ainda mais o mercado de soja norte-americana, que já é ajustado e beneficiar os preços futuros em Chicago, sinaliza. 

Ainda na visão no diretor, a safra da América do Sul está longe de ser uma produção recorde haja vista as adversidades climáticas que castigaram as lavouras sulamericanas desde o início do plantio. E mesmo com a melhora no clima, há problemas pontuais em várias regiões produtoras do hemisfério sul.

No MT há muitos grãos ardidos em função das constantes de chuvas. E o produtor sofre um desconto de todo os grãos com umidade excessiva. Os grãos ardidos não diminuem o volume da produção, mas sim a produtividade. No estado existe uma perda de dez sacas de soja por hectare, diz Birkhan. 

Diante desse cenário, o diretor orienta que os produtores brasileiros aguardem para retomar os negócios uma vez que os preços tendem a melhorar. Já a colheita da soja 2012/13 avançou nos últimos dias com o retorno do sol no estado do Mato Grosso, conforme relatou o diretor. 
Tags:
Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Até que enfim alguem que fala sobre o mercado com propriedade. Os produtores ficaram ouvindo durante 2 meses que se chovesse na argentina e no rgs, o mercado viria de bico. E agora, chove maravilhosamente no rgs e na argentina... Por que o mercado sobe ???? Vão dizer que a china voltou para o mercado. Pense bem.. a china nunca saiu do mercado,

    0