EUA: Produção de soja pode ficar abaixo da média em Iowa e Minnesota

Publicado em 23/08/2013 14:26 e atualizado em 13/09/2013 13:03
1475 exibições

As  expectativas para as safras de soja estão bem abaixo da média dos últimos anos nos estados americanos de Iowa e Minnesota. É o que mostra a média das pesquisas de safras feitas durante o Crop Tour realizado meio-oeste dos EUA. Estes são os estados de segunda e terceira maior produção no país.

Em Iowa, a soja registrava 927.30 vagens em uma área de um metro quadrado, caindo em relação à média de 1189.74 vagens nos anos entre 2010 e 2012, depois que uma severa seca reduziu as safras em extensas áreas no meio-oeste. As médias foram calculadas usando 372 amostras coletadas pelo tour da Pro Farmer.

Em Minnesota, a quantidade de vagens era de 869.42, indicando uma queda brusca em relação aos 1099.44 nos três anos anteriores. Embora Minnesota tenha escapado dos danos às safras causadas pela seca que assolou o centro dos Estados Unidos no ano passado, grande parte da soja de Iowa não conseguiu sair ilesa, entretanto o estado conseguiu uma média de 1033.24 vagens durante o tour do ano passado.

A Pro Farmer não extrapola as atuais previsões de vagens de soja vistas em campos para a produtividade do ano todo, já que diversos fatores - entre eles o clima - podem afetar a saúde e qualidade das plantas antes do final da estação de enchimento de grãos.

Analistas também disseram que a contagem de vagens estava altamente irregular de região para região em Iowa, variando entre 802.98 e 1112.14, com base no movimento de precipitações pelo estado.

Milho - Os campos de milho para o estado de Iowa tiveram uma média de 181,9 sacas por hectare, bem acima da média dos três últimos anos, de 167,12, e mais alta que as previsões do USDA para o estado, de 172,5 sacas/hectare. Em Minnesota, elas foram vistas a 192,5 sacas por hectare e 182,6 para os três anos anteriores.

Análise de especialistas para a soja - Alguns especialistas da indústria estimam que as safras de soja nos dois estados podem ser piores que as recentes previsões para a próxima safra, se o clima seco visto em agosto persistir nas próximas semanas.

"É óbvio que este clima frio de julho atrasou um pouco as coisas", disse Chris Narayanan, líder de pesquisa de commodites agrícolas da Societe Generale. "As vagens ainda não terminaram de se desenvolver, ainda não estão cheias, e essas estimativas mostram que elas ficarão cheias. Elas têm uma probabilidade de 50%."

As previsões indicam chuva limitada no meio-oeste para as próximas semanas, deixando muitos traders preocupados com a seca no solo em partes de Iowa, Illinois e Missouri. As temperaturas também devem ficar mais altas nas próximas duas semanas, o que pode secar ainda mais os solos nas regiões prejudicadas pela falta de umidade.

Os traders estão particularmente preocupados com o clima desfavorável já que as safras de soja estão passando pela fase de crescimento, incluindo o desenvolvimento das vagens e do enchimento de grãos. Grande parte da safra de milho já completou sua fase crucial, de polinização, mas o clima ainda ameaça reduzir a produtividade.

As chuvas nos dois estados na última quinta-feira (22) diminuíram as preocupações com perda de produtividade, pelo menos temporariamente, dizem os traders, e trouxeram uma razão para a realização de lucros e deixar as posições em contratos de longo prazo, após os recentes ganhos.

Depois da pior seca nos Estados Unidos em 60 anos esgotarem os estoques dos dois grãos no ano passado, os especialistas da indústria dizem que estão acompanhando de perto as novas estimativas para uma colheita que poderia quebrar recordes históricos para a produção de milho, mesmo se a produtividade for menos que 'fenomenal' e ficar logo abaixo dos maiores recordes de produtividades de soja.     

Tags:
Por: Fernanda Bellei
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário