Calor continua nos EUA e soja e milho retomam rally

Publicado em 28/08/2013 10:47
1091 exibições

O clima quente e seco no meio-oeste americano continua ameaçando reduzir a produtividade do milho e da soja nos Estados Unidos, de acordo com informações publicadas hoje pela Bloomberg.  

Partes do meio-oeste, além de Iowa, o maior estado produtor de milho e soja, Dakota do Sul e Minnesota estão sob alerta climático hoje, com previsões de temperaturas de até 38ºC, segundo as informações do Serviço Nacional de Clima. Enquanto algumas áreas de Nebraska, Iowa, Illinois e Indiana devem registrar tempestades isoladas no final de semana, o meio-oeste não terá “chuvas significativas” que poderão aliviar a seca antes do final da próxima semana, informou o QT Weather em um relatório. 

“Algumas temperaturas mais amenas e chuvas isoladas podem ocorrer na semana que vem, mas devem resultar em pouco alívio”, informou Dan Cekander, diretor de análise do mercado de grãos na Newedge USA LLC. “Quase 45% do cinturão de soja será impactado pela seca contínua e pelo calor. Isso irá resultar em maior perda de produtividade”.

Soja
A soja no mercado futuro teve um rally de 19% depois de ter registrado a maior baixa em 18 meses, no dia 7 de agosto. 

Milho
O milho para entrega em dezembro subiu 0,9% para 4,9075 o bushel. O preço está caminhando para seu primeiro ganho do mês desde janeiro. O grão ainda está 30% mais baixo este ano, enquanto o governo dos EUA prevê que a produção irá alcançar um recorde de 349,52 milhões de toneladas.

Trigo
O trigo para entrega em dezembro subiu 0,8% para 6,6925 o bushel em Chicago. Em Paris, o trigo de moagem para entrega em novembro subiu 0,4% para 192,50 euros (257,41 dólares) a tonelada na bolsa NYSE Liffe.

O Egito, que é o maior importador de trigo do mundo, pretende comprar até 60 mil toneladas do grão hoje, de acordo com a Autoridade Geral de Commodities. O comprador estatal teve uma oferta em 6 de agosto, onde comprou 120 mil toneladas de trigo da Romênia e da Ucrânia            


Com informações do site Bloomberg.com

Tradução: Fernanda Bellei

Tags:
Fonte: Bloomberg

0 comentário