Clima preocupa no Brasil e soja fecha o dia com forte alta em Chicago

Publicado em 24/02/2014 17:11 e atualizado em 24/02/2014 19:04 2711 exibições

As condições climáticas no Brasil têm chamado atenção do mercado internacional da soja e os futuros mais negociados na oleagnosa fecharam o pregão regular desta segunda-feira (24) com mais de 15 pontos de alta. O contrato maio/14, referência para a safra brasileira, encerrou o dia valendo US$ 13,75 por bushel. 

Em alguns estados, a seca continua castigando as lavouras e reduzindo, dia a dia, sua produtividade. As chuvas dos últimos dias não foram suficientes, em boa parte das regiões, para reverter o stress pelo qual as plantas têm passado. No Mato Grosso, por outro lado, chove demais e o excesso de umidade tem prejudicado o avanço da colheita, o que já resulta em uma perda de qualidade e também de potencial produtivo. Segundo um produtor de Lucas do Rio Verde, somente em fevereiro chouve 2400 mm. 

Frente à essas incertezas sobre a produção do Brasil e do comportamento dos preços diante desse quadro, os produtores brasileiros não estão vendendo, o que também é um fato positivo para os preços. 
"Não tem opção de onde comprar soja, então os importadores se voltam para os Estados Unidos e isso impede uma realização de lucros no mercado", explica Ênio Fernandes, consultor em agronegócio. "Essa não realização das vendas força o demandar a comprar, e os preços a subirem", completa.

Paralelamente à preocupação com o clima no Brasil, falta soja nos EUA e a demanda permanece muito aquecida pelo produto norte-americano. 

Nos Estados Unidos, a escassez de soja vem sendo justificada pelas exportações norte-americanas em mais de 43 milhões de toneladas, contra a última projeção do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de 41,1 milhões de toneladas para todoo ano comercial. Ao mesmo tempo, os embarques, também no acumulado da temporada, já superam as 35 milhões de toneladas. 

Os embarques semanais de soja somaram 1.270,993 milhões de toneladas e ficaram ligeiramente abaixo do volume da semana anterior, de 1.480,530 milhão de toneladas. Porém, ainda assim ficou bem acima do registrado no mesmo período do ano passado, quando foram embarcadas 755,809 mil toneladas. 

No acumulado do ano safra, os embarques de soja dos Estados Unidos já totalizam 35.856,689 milhões de toneladas, frente às 30.086,938 milhões da safra 2012/13 nessa mesma época. 

A baixa disponibilidade de farelo de soja também impulsiona os preços do grão nesta segunda-feira. Com a falta do subproduto, a demanda pela matéria prima também aumenta, favorecendo ainda mais o movimento positivo das cotações.  

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Todos dizem que a produção brasileira está muito abaixo de todas as previsões. Então por que os tradicionais avaliadores que sempre divulgam produções de safras não se apressam para corrigir os números?. Será muito importante que confessem para o mundo que estamos com problemas, principalmente na colheita do MT, responsável pelo grande volume da primeira soja exportada. As filas de navios nos portos são imensas, os atrasos e custos serão enormes. Por que não informar nossos parceiros consumidores da realidade ? – Depois irão dizer que não foram informados corretamente. Sua vez Aprosoja.

    0