Soja fecha semana com forte alta em Chicago e no mercado brasileiro

Publicado em 28/02/2014 17:31 e atualizado em 28/02/2014 18:17 2993 exibições

Os fundamentos prevaleceram e os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago encerraram o pregão regular desta sexta-feira (28) com forte alta. Os primeiros vencimentos fecharam o dia com mais de 20 pontos positivos e o maio/14, referência para a safra brasileira e vencimento mais negociado atualmente, valendo US$ 14,14. 

No mercado brasileiro, mesmo em época de colheita, os preços também seguem bem sustentados e registram uma semana positiva nas principais praças de comercialização do país. De acordo com um levantamento da Safras & Mercado, em Cascavel/PR, a saca de soja subiu de R$ 61,00 para R$ 67,00; em Rondonópolis/MT, de R$ 56,00 para R$ 61,00 e em Passo Fundo/RS de R$ 66,00 para R$ 71,00. No Porto de Rio Grande, a soja terminou a semana valendo R$ 75,00, subindo 4,17% em relação ao fechamento anterior. 

De um lado, as condições climáticas desfavoráveis na América do Sul. Alguns estados continuam amargando perdas em suas safras em função da recente e severa estiagem. Um levantamento da consultoria Safras & Mercado, divulgado nesta sexta, reduziu sua projeção para a colheita brasileira de soja para 86,14 milhões de toneladas, contra sua estimativa inicial de 91,8 milhões de toneladas. 

Ao mesmo tempo, as perdas têm sido ainda mais graves em função do excesso de umidade no estado do Mato Grosso, maior produtor brasileiro. As chuvas constantes têm prejudicado a qualidade dos grãos a serem colhidos, além de atrasarem os trabalhos de campo e, consequentemente, a chegada da safra matogrossense ao mercado. A Safras reduziu sua projeção para a produção do estado de 27,55 milhões para 26,72 milhões de toneladas. O problema se estende para outras localidades como Uruaçu, Goiás, por exemplo, onde antes o problema era a seca. 

Não só o Brasil, mas também Argentina e Paraguai seguem amargandos prejuízos por conta das condições climáticas adversas. Segundo informações de um produtor de Santa Rosa Del Monday, no Paraguai, as perdas já se aproximam de 40% em sua região nas lavouras mais tardias. 

Os problemas com a oferta não vêm só da América do Sul e, a cada dia, a escassez de produto nos Estados Unidos ganha mais atenção dos investidores e foco dos negócios, principalmente no mercado internacional. 

A atual projeção do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) é de que o país exporte na safra 2013/14 41,1 milhões de toneladas. No entanto, o volume de soja comprometido já passa de 43 milhões de toneladas e os embarques efetivos já somam mais de 35 milhões de toneladas e o ano comercial se encerra somente em agosto. 

O departamento norte-americano anunciou a venda de 120 mil toneladas para o Egito, com entrega na safra 2014/15 e a notícia também foi positiva para o mercado nesta sexta-feira. 

Veja como ficaram as cotações dos grãos no fechamento desta sexta-feira:

>> SOJA

>> MILHO 

>> TRIGO

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

5 comentários

  • Antonio Nascimento campo mourão - PR

    SALVADOR REIS NETO,DOUGLAS GEHRKE,e JURANDIR ALEXANDRE LAMB, por aqui o controle é o mesmo , não tem o acompanhamento real de Chicago, indagada: só argumentos pifios, sabemos qual é a cooperativa que é locomotiva!Há anos queé isso aí, a solução já foi dada aqui. SILOS ,chega de intermediarios......Como amo essas cooperativas!!!!!

    0
  • marcio aldir graf Manoel Ribas - PR

    em relação ao preço da soja, meus amigos SALVADOR REIS NETO,DOUGLAS GEHRKE,e JURANDIR ALEXANDRE LAMB, aqui na região central do PR é a mesma ladainha...o preço sobe diariamente na bolsa, mas no quadro da cooperativa, nada. teve cooperativa (de renome, diga se de passagem) que teve a capacidade de enviar mensagem via SMS aos produtores, para fazer contrato durante o fim de semana de carnaval, ao preço de R$64,90; ai muitos produtores fizeram e assinaram o contrato antes das 9:00 da manhã da segunda feira de carnaval... o problema é que quando o preço abriu, por volta das 9:30 da mesma segunda feira, a soja estava no preço de R$65,40... um prejuizo de 0,50 por saca aos produtores... é brincadeira viu...

    0
  • salvador reis neto santa teresa do oeste - PR

    infelizmente confirmo o preço de 63.50 por saca de soja que meus vizinhos produtores Jurandir e Douglas declararam aqui no FP, e´ isso mesmo, e já falei em outras ocasiões sobre o pouco interesse das cooperativas em que milho e soja suba de preço, pois são matéria prima para ração de frangos e suínos que precisam para fornecer aos seus integrados, por isso a soja sobe em Chicago a semana inteira e o preço por aqui continua o mesmo, mas basta baixar em apenas uma sessão que os preços sai fora de mercado ou despenca, e´ a máfia das raçoes.

    0
  • Douglas Gehrke Capitão Leônidas Marques - PR

    Aqui os preços são baseados no mercado de cascavel e a saca estava R$ 63,50 na sexta feira...

    0
  • Jurandir Alexandre Lamb Cascavel - PR

    hahahah, interessante como a soja subiu de preço em Cascavel ai no site, porque aqui no quadro da cooperativa a soja oscilou a semana inteira em apenas R$ 0,50 centavos ou para cima , ou para baixo, digo que estamos na região em que a máfia do frango domina , pois teve dias que a soja teve alta de mais de um porcento e o milho mais de dois porcento e aqui no quadro a soja apenas oscilou 50 centavos , um verdadeiro abuso contra o produtor...

    0