Soja opera com pouca movimentação em Chicago nesta 6ª feira

Publicado em 28/03/2014 07:52 e atualizado em 28/03/2014 08:24 1713 exibições

O mercado da soja opera sem direção nesta última sessão da semana na Bolsa de Chicago, ainda esperando pelo relatório que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga na próxima segunda-feira (31). Por volta das 8h10 (Brasília), somente os vencimentos mais distantes registravam uma pequena oscilação, perdendo 0,25 ponto, enquanto os demais trabalhavam sem variação. 

Os traders optaram, durante toda a semana, por movimentos mais cautelosos, menos expressivos para o mercado internacional de grãos, ao esperarem pelas novas informações que o USDA traz, principalmente em relação aos estoques trimestrais em 1º de março nos EUA. Para a soja, a expectativa é de que seja o menor volume em 10 anos. 

Veja como fechou o mercado nesta quinta-feira (28):

Soja fecha em leve baixa na CBOT à espera dos números do USDA

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam a sessão desta quinta-feira (27) com pequenas perdas. Os vencimentos mais negociados recuaram de 1,25 a 3,50 pontos, mas, ainda assim, as primeiras posições encerraram o dia acima dos US$ 14 por bushel. 

O pregão foi marcado por uma intensa volatilidade, chegou a registrar algumas altas, mas logo passou a realizar lucros. O mercado segue sem direção, e deve fechar a semana operando de lado, à espera do reporte que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz na próxima segunda-feira, 31 de março. 

Ainda assim, o mercado internacional segue firme. A base dos preços está consolidada nos fundamentos positivos. "O preço internacional segue muito bem sustentado pelo fator recorrente que é a perspectiva de baixos estoques nos EUA e forte demanda chinesa", explicou Camilo Motter, analista de mercado e economista da corretora Granoeste. 

Dessa forma, as análises gráficas, baseadas no movimento comportamental do mercado e em alguns padrões de comportamento, também indicam uma tendência de alta para a soja. Segundo explicou Antônio Domiciano, da SmartQuant, o objetivo do primeiro vencimento, maio/14, é agora romper a resistência dos US$ 14,60 por bushel e, se consolidando acima desse patamar, buscar os US$ 15,25. 

As expectativas do mercado para os  estoques trimestrais de soja em 1º de março que serão divulgados têm variado entre 26,9 milhões a 27 milhões de toneladas, o menor volume em uma década. Em 2013, nessa mesma época, os estoques foram de 27,2 milhões e, nos últimos anos, algo entre 30 e 32 milhões de toneladas. "Qualquer número abaixo dessas expectativas pode despertar uma onda de compras muito forte", diz Motter. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário