Soja: com escassez nos EUA, mercado segue avançando na CBOT

Publicado em 20/05/2014 13:25 1245 exibições

Nesta terça-feira (20), os futuros continuam sustentados pela escassa oferta dos Estados Unidos e, assim, registram mais uma sessão de alta na Bolsa de Chicago. Apesar de mais tímidos do que os registrados no pregão anterior, os avanços da oleaginosa já aproximam o contrato julho dos US$ 15 por bushel e reforçam a contínua necessidade do mercado de racionar a demanda por meio de preços mais altos. 

Apesar de pouco produto disponível, os Estados Unidos seguem embarcando soja com vigor e esse tem sido o principal componente da base de sustentação para os preços praticados em Chicago. No acumulado do ano, os embarques norte-americano já somam 41.862,57 milhões de toneladas, contra a estimativa do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de 43.550 milhões. 

"Fundos e especuladores entendem esses embarques como uma notícia muito positiva e partiram para as compras, recompondo parte das perdas registradas na semana passada", explica Camilo Motter, economista e analista de mercado da Granoeste Corretora. 

Assim sendo, o quadro composto pelos menores estoques da história dos Estados Unidos e por uma demanda ainda muito forte pela soja dos Estados Unidos, com tendência de compras ainda maiores por parte da China neste mês de maio, seguem estimulando novas altas para as cotações, embora ainda não tenham rompido o patamar de algo entre US$ 15,10 e US$ 15,20, colocado como um 'alvo' pelos analistas. 

Safra 2014/15

No médio e longo prazo, os olhos dos investidores se voltam para a evolução da nova safra de grãos dos Estados Unidos, a qual tem registrado um bom ritmo, de acordo com números do USDA. 

Segundo o boletim divulgado pelo departamento nesta segunda-feira (19), o plantio da soja já estava em 33% até o último domingo. Embora esse número esteja acima do registrado no mesmo período do ano passado, ainda é ligeiramente menor do que a média dos últimos cinco anos que é de 38%. "De maneira geral, os trabalhos de campo estão muito melhores do que no ano passado", acredita Motter. "E devemos ter uma semana de clima favorável para o plantio nos Estados Unidos", completa. 

Os estados de Illinois e Iowa, importantes na produção do grão, o cultivo da oleaginosa alcançam 36% e 40% da área, respectivamente. O estado de Louisiana é o mais adiantado na semeadura do grão, com 87% da área cultivada. Em segundo lugar está o Mississipi, com 73% da área semeada. Até o momento, cerca de 9% as lavouras emergiram no mesmo período do ano passado o índice era de 3%.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário